O Benfica confirmou à CMVM a venda do internacional argentino por seis milhões de euros ao Zenit, o clube russo onde André Villas-Boas é treinador. No entanto, aquando da contratação do jogador em 2011, o Real Madrid garantiu 50% de uma futura venda, o que se traduz em três milhões de euros neste caso. Há ainda um outro player nesta história: o Benfica Stars Fund é dono de 10% do passe do argentino, ou seja, 600 mil euros. Conclusão: seis milhões transformam-se em 2,7 milhões, o que é muito pouco para um jogador que é titular na seleção argentina num Campeonato do Mundo.

“A Sport Lisboa e Benfica – Futebol, SAD, em cumprimento do disposto no artigo 248º do Código dos Valores Mobiliários, informa que chegou a acordo com o FC Zenit para a transferência a título definitivo dos direitos desportivos e económicos do atleta Ezequiel Marcelo Garay Gonzalez, pelo montante de € 6.000.000 (seis milhões de euros), cujo contrato de trabalho desportivo terminava a 30 de Junho de 2015”, pode ler-se na nota enviada à Comissão do Mercado de Valores Imobiliários.

Aquando da contratação do argentino em 2011, o Benfica comunicou à CMVM que a cláusula de rescisão estava fixada nos 20 milhões de euros e que o Real Madrid teria direito a receber 50% do valor de uma futura transferência (ver aqui):

“De referir que, ao abrigo do contrato de aquisição de direitos desportivos e económicos do atleta, o Real Madrid CF terá direito a receber numa futura transferência 50% do valor da mesma.”

O contrato do argentino com o clube da Luz acabava em junho de 2015, pelo que poderia assinar por outro clube em janeiro e sair a custo zero.

Correcção: O valor recebido pela SAD do Benfica com esta transferência é 2,4 milhões e não 2,7 milhões.  O Benfica só tinha 90% do passe, mas 50% da receita tem de ir para o Real Madrid, o que faz com que a SAD do Benfica tenha apenas direito a 40% da transferência (50% para o Real Madrid e outros 10% para o Benfica Stars Fund).

Com isto, a SAD recebe estes 2,4 milhões de euros, a que se juntam os 1,175 milhões de euros pagos pelo Stars Fund a 29 de setembro de 2011. No entanto, o fundo acaba por ter um prejuízo de 575 mil euros (pagou 1,175 milhões de euros e recebe apenas 600 mil euros).