Segundo a imprensa cabo-verdiana de hoje, Edy Walter, que integrava a formação espanhola Herbalife Gran Canária, entrou na segunda ronda do “draft” 2014 da NBA e foi selecionado como 43.ª escolha entre os 77 “novatos”.

“É um feito histórico para o desporto cabo-verdiano. Pela primeira vez, um basquetebolista oriundo de Cabo Verde conseguiu entrar no `draft´ da NBA, a maior liga do basquetebol mundial, e ser escolhido por uma das equipas”, escreve a edição “online” do jornal A Semana.

O internacional cabo-verdiano, que esteve no último Afrobasket, deverá agora participar na “Summer League” de Orlando, em julho, de forma a poder convencer os dirigentes dos Atlanta Hawks a oferecerem-lhe um contrato, uma vez que as segundas escolhas do “draft” não têm garantias de assinar logo com os clubes. Outra hipótese passa por voltar a Espanha e continuar a evoluir no Gran Canária, na principal liga do país, formação na qual esteve em destaque na última temporada.

Edy Walter foi descoberto há seis anos na ilha do Maio por um turista alemão, que o recomendou a um amigo espanhol residente nas Canárias. O mais curioso, ressalva a imprensa local, é que, até então, altura em que Walter Tavares tinha 17 anos, o jovem nunca tinha pegado numa bola de basquetebol.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Dos novatos, 46 atletas chegam das universidades nacionais e 31 são captados no estrangeiro.

Segundo a imprensa cabo-verdiana, Walter Samuel Tavares da Veiga, de nome completo, já é uma referência para técnicos, fãs e críticos, embora ainda não tenha mostrado todas as qualidades e movimentos técnicos de um “pivot” ou de um “poste”.