O dirigente socialista António Costa considerou este domingo que no PS “não há nem vencedores nem perdedores” e que os adversários do partido “estão lá fora”.

“O PS é de todos e no PS não há nem vencedores nem perdedores. Todos vencemos quando o PS se reforça e é por isso que cá estamos todos, para dar mais força ao PS e, dando mais força ao PS, ajudar a mobilizar Portugal”, afirmou António Costa num encontro com militantes, no auditório do Paço da Cultura da Guarda.

O candidato às eleições primárias para a escolha do candidato socialista a primeiro-ministro referiu que o PS é “uma grande instituição” feita “por milhares de mulheres e homens”, por isso não escondeu que recebeu “com grande satisfação” o apoio “da grande maioria dos fundadores do PS”.

“Porque é essa continuidade dessa história que remonta há mais de quatro décadas, que todos nós temos o dever de ir prosseguindo, acrescentando, valorizando, com a noção que nunca fazemos nada sozinhos, mas fazemos todos em equipa, porque o PS tem que ser e será sempre uma grande equipa”, justificou.

Por isso, Costa apontou que quando os socialistas têm divergências internas e debates internos, têm de saber uma coisa, podem divergir, mas os adversários estão fora do partido. “Já no passado divergimos e certamente no futuro voltaremos a divergir, mas os nossos adversários nunca estão cá dentro, os nossos adversários estão lá fora e é por isso que é fundamental travarmos este debate com espírito fraterno, de camaradagem, de unidade, porque no dia a seguir às eleições todos seremos socialistas, todos continuaremos a ser do PS e todos continuaremos cá a dar o melhor pelo PS”, afirmou.

Na sua intervenção, que contou com casa cheia, disse que conta “com todos, hoje e amanhã, independentemente da posição que cada um tenha nestas eleições primárias”.

O presidente da comissão política concelhia da Guarda, João Pedro Borges, disse acreditar que António Costa como primeiro-ministro olhará para o interior do país “de forma diferente”. Os militantes e simpatizantes que o escutavam acreditam “que é a melhor pessoa para levar a bom porto o destino” do país, afirmou.

Lembrou ainda que foram sempre os Governos do PS – liderados por António Guterres e José Sócrates – que deram atenção ao interior de Portugal. Já o presidente da Câmara de Fornos de Algodres, Manuel Fonseca, disse que apoia a candidatura de António Costa por reconhecer que o que está em causa “é escolher a pessoa que poderá ganhar” as eleições legislativas no próximo ano.