A Presidente do Brasil, Dilma Rousseff, vai faltar pela segunda vez a uma cimeira de chefes de Estado e de Governo da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP).

O Ministério dos Negócios Estrangeiros de Timor-Leste, país que acolhe dia 23 a X Cimeira, revelou este sábado que haverá duas ausências: Dilma e o presidente de Angola, José Eduardo dos Santos.

O chefe de Estado angolano vai ser representando pelo vice-presidente, Manuel Domingos Vicente, e a presidente brasileira pelo ministro de Estado das Relações Exteriores, Luiz Alberto Figueiredo Machado, refere o comunicado.

Para o Governo português, esta não é uma surpresa, pois o Palácio das Necessidades já estava à espera desta atitude por parte da Presidente brasileira, com quem as relações diplomáticas não se comparam às mantidas entre o seu antecessor, José Inácio Lula da Silva, e Portugal.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Ao contrário de Lula e Fernando Henrique Cardoso, Dilma não escolheu Portugal para uma das suas primeiras viagens oficiais. Segundo confirmou ao Observador a embaixada brasileira em Lisboa, as primeiras três viagens de caráter oficial foram à Argentina, Uruguai e Bélgica.

A primeira visita oficial a Portugal foi apenas em 2013 e foi uma visita rápida de dia e meio.

A Presidente, no entanto, já estivera antes em solo português, mas em passagens de caráter privado que nem sequer deu aviso prévio ao Governo português. Foi o caso de duas escalas que fez no Porto e em Lisboa, enquanto viajava da Europa para o Brasil. Em março de 2011, esteve em Coimbra para assistir à entrega do doutoramento honoris causa a Lula da Silva, mas não se tratou de uma deslocação de caráter oficial.

A X Cimeira da CPLP em Díli deverá ficar marcada pela entrada da Guiné Equatorial nesta organização.