Reza a história que Natasha Devon era uma solteira assumida há 18 meses. Quando se apercebeu que a sua escolha em homens estava a tornar-se progressivamente rigorosa e restritiva, aceitou o desafio das amigas: inscrever-se num site de encontros amorosos e aceitar todos os convites para sair, nas seis semanas seguintes. Passado um mês e meio, Natasha compareceu a cerca de 60 encontros. Por ela passaram todos os tipos de homens, de profissões distintas e com idades compreendidas entre os 23 e os 65 anos. Resultado? Uma crónica no The Telegraph para explicar o que os homens nunca devem fazer numa saída a dois, erros distribuídos por dez tópicos.

Mas, porque nem tudo é mau, primeiro deixamos ficar alguns conselhos: sorrir, insistir em pagar a conta, acompanhar a mulher ao comboio ou táxi e, no fim, mandar mensagem telefónica a dizer que passou uma noite muito agradável, “mesmo que seja mentira”.

1. Não ter um plano
Natasha explica que, independentemente de achar que a convidada é bastante feminista ou independente, as mulheres querem um homem capaz de tomar decisões. Chegar ao ponto de encontro e perguntar algo como “Então, onde vamos?” está proibido. “Passámos três horas a arranjar-nos para isto. Fizemos a nossa parte. Só queremos que nos levem a um lugar agradável, por favor”.

2. Perguntar: “Como é que uma rapariga bonita como tu está solteira?”
Não, não e não. Porquê? “Antes de mais, a pergunta faz-nos pensar que é o tipo de homem que acredita que o jogo do namoro é apenas uma longa fila de raparigas desesperadas por um namorado, que estão em pé por ordem de atração física e à espera do próximo homem que passar por elas”. Depois, ela vai-se interrogar pelo facto de também o homem estar solteiro: a mente feminina vai deambular entre possíveis respostas, desde a probabilidade de ser um assassino em série ou, pior, um homem casado. “Sabemos que nos está a prestar um elogio e isso é simpático, mas dizer que estamos bonitas é o suficiente”.

A chivalrous gentleman helps his lady friend onto the towpath from a punt at Richmond, London, 1925. (Photo by Hulton Archive/Getty Images)

3. Admitir que está nervoso
É o tipo de confissão que só pode acontecer em retrospetiva. Caso contrário, é simplesmente estranho.

4. Agir como se não se importasse
Comportar-se como se a mulher fosse totalmente descartável e agir como se tivesse encontros marcados todos os dias também não ajuda e não é atraente. Fazer uma mulher sentir-se especial, única e acarinhada é a pedra angular de todo o relacionamento, mais e menos curto.

5. Brincar com o telefone
“Guarde o telefone, por favor”.

August 1893:  Mrs Patrick Campbell  (1865 - 1940) with Sir George Alexander (1858 - 1918) in 'The Second Mrs Tanqueray'. Original Publication: The Theatre - pub. 1893  (Photo by Hulton Archive/Getty Images)

6. Fazer uma pergunta e, assim que a resposta chega, mostrar-se desinteressado
“Parece óbvio, mas ficaria surpreso com quantos homens que o fazem”, explica a autora do artigo. Em última análise, a “regra” é simples: não pergunte algo para, depois, olhar preguiçosamente em volta. Mesmo que pense que está a ser subtil, a companheira vai sempre reparar.

7. Dizer: “Conta-me algo sobre ti que ninguém saiba”
Natasha explica que é provável que tal segredo não exista, entre amigas, mães e colegas de trabalho com quem uma mulher pode — e vai — falar. E mesmo que sobrasse algo por contar, não seria a uma pessoa ainda desconhecida.

8. Avaliar o encontro enquanto este ainda está a decorrer
Evite a questão: “Então, como achas que isto está a correr?”. “Nós não queremos analisar consigo o encontro quando este vai a meio. Queremos, sim, analisá-lo com as nossas melhores amigas”, o que pode acontecer por mensagem telefónica enquanto o homem vai à casa de banho.

November 1956:  Two lonely hearts meet in Rome. They both frequent the Cafe Canova where the manager Omero Benfanati works in cooperation with a marriage agency. He places tiny photographs of young men and women anxious to find a life's partner in boxes of chocolates sold at the cafe.  (Photo by Enzo Graffeo/BIPs/Getty Images)

9. Dizer mal de outros encontros em que já esteve
É o equivalente a alguém que diz mal dos colegas no local de trabalho. Natasha diz que, se por um lado as mulheres vão querer ouvir os contos de horror de encontros passados, por outro, vão ficar desconfiadas, a pensar se aquela saída será uma anedota futura.

10. Falar ou perguntar pelo ex
“Ah, o santo graal. Para ser evitado. A todo o custo”.