Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Os filhos de Bernard Madoff foram acusados de terem criado contas falsas e de terem feito investimentos fraudulentos com dezenas de milhões de dólares que desviaram da empresa do pai, noticiou esta terça-feira a Reuters.

Irving Picard, responsável pela liquidação da Bernard L. Madoff Investment Securities, adiantou que a actividade dos irmãos refletiu o seu “sentido de direito” pela riqueza merecida. Picard acusou-os de terem eliminado e-mails que os ligavam ao esquema Ponzi do pai, Bernard Madoff, a meio de uma auditoria que a Securities and Exchange Commission, entidade reguladora dos mercados norte-americanos, fez às finanças da empresa em 2005.

A ação judicial que está a decorrer no Tribunal de Falências de Manhattan, em Nova Iorque, alega que a empresa de Madoff funcionava como um mealheiro familiar. Picard está a tentar recuperar 153,3 milhões de dólares a Andrew Madoff, ao património do irmão mais velho, Mark Madoff, e da viúva de Mark, Stephanie Mack.

Bernard Madoff foi o autor da maior fraude financeira de Wall Street, a bolsa de valores de Nova Iorque. Em 2009, foi condenado a 150 anos de prisão por 11 crimes, entre os quais fraude, lavagem de dinheiro e perjúrio. Madoff foi acusado de ter utilizado um esquema financeiro em pirâmide para enganar investidores.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O filho mais velho de Bernard Madoff, Mark Madoff, foi encontrado morto em casa aos 46 anos, enforcado, dois anos depois de o pai ter entrado na prisão.