A Oi confirmou não ter recebido o reembolso do papel comercial que a Rio Forte devia ter pago até terça-feira e garante que adotará “as medidas cabíveis” para a cobrança, através das subsidiárias PT Portugal e PT International Finance. Em comunicado, publicado no seu site, a Oi informou os acionistas e o mercado que terminou na terça-feira “o período de cura” dos sete dias úteis, que intermedeia o vencimento da maturidade das aplicações financeiras (15 de julho), “sem que tenha sido pago o valor dos títulos”.

A Oi lembra que os títulos serão transferidos para a PT SGPS “a partir da celebração dos documentos definitivos relativos à permuta entre as partes”, mas explica que até à sua efetiva transferência, as suas subsidiárias, PT Portugal e Portugal Telecom International Finance “adotarão as medidas cabíveis para a cobrança dos títulos e os demais atos necessários à proteção e defesa dos seus interesses”.

A ausência do pagamento dos 847 milhões de euros relativos ao principal bloco de papel comercial da Rio Forte Investments até dia 22 de julho, faz com que a holding para a área não financeira do Grupo Espírito Santo (GES) tenha entrado em incumprimento nesta terça-feira. Por pagar estão ainda mais 50 milhões de euros de papel comercial pela Rio Forte.

Na terça-feira, a Rio Forte apresentou um pedido de sujeição ao regime de gestão controlada ao abrigo da lei luxemburguesa. Esta informação surgiu no mesmo dia em que o Tribunal de Comércio do Luxemburgo aprovou o pedido de gestão controlada apresentado pela ESI, que declarou a 18 de julho não estar “em condições de cumprir as suas obrigações” quanto ao pagamento das dívidas.