Um ano de encerramento e uma multa de 55 mil de euros. Foi este o castigo aplicado pela autarquia de Calià, nas ilhas Baleares, ao bar ‘Playhouse’, em Magalluf, localidade de Palma de Maiorca, onde, no início de julho, uma mulher foi filmada a praticar sexo oral a 24 homens, em troca de uma bebida alcóolica. Um jogo que o bar apelidava de ‘mamading’.

O vídeo, que foi publicado no Facebook, levou o Ministério Público espanhol a iniciar uma investigação ao caso — também a pedido do Instituto da Mulher do país — para averiguar em que estabalecimento se tinha cometido o ato. De acordo com a Cadena Ser, concluiu-se que foi o bar ‘Playhouse’ a “cometer uma infração muito grave” à lei integral dos direitos da Infância e da Adolescência das Ilhas Baleares.

A legislação, escreveu a rádio espanhola no seu site, proíbe “a venda, aluguer ou exibição de pessoas menores de idade em publicações, vídeos, videojogos ou outro material audiovisual de conteúdo pornográfico, ou que mostre qualquer forma de delinquência”.

A sanção, de resto, culpa igualmente a Carnage Magaluf, empresa que organizou o evento noturno (conhecido como pub crawl) que levou a jovem ao bar em questão. Na altura, Paul Smith, proprietário da empresa, disse ao The Independent que se recusava a assumir responsabilidade — negando também que os funcionários do estabelecimento tivessem forçado a mulher a praticar sexo oral.

Na altura, a empresa até reagiu através da sua conta oficial de Twitter, na qual escreveu que “bastava ver o vídeo e reparar que [a jovem] não estava embriagada e sabia o que estava a fazer”. Depois, numa outra publicação, referiu ainda que “a rapariga e as suas oito amigas compraram bilhetes” para o pub crawl seguinte “pois disseram que tinham adorado”.