Pérolas a Porcos (no original Pearls Before Swine) é uma tira mundialmente famosa, publicada em mais de 750 jornais no mundo inteiro. Stephan Pastis é considerado um dos autores mais promissores do cartunismo e o seu desenho já foi promovido pelos autores de Dilbert e Calvin e Hobbes. A tira vem carregada de um humor politicamente incorreto e por vezes excessivo. Tem como personagens principais dois animais: um rato arrogante mais um porco amigável e burro; a eles juntam-se frequentemente um pato com a mania das grandezas, uma cabra e uma zebra cujo único objetivo na vida é evitar ser comida pelos crocodilos seus vizinhos.

Pastis demorou a ganhar coragem para vender as tiras de Pérolas a Porcos. Precisou de desenhar mais de duzentas para selecionar algumas e mandar para os grupos que negoceiam com a imprensa internacional. Um deles – a United Features – publicou as tiras no seu site. Foi preciso Scott Adams, o aclamado autor de Dilbert, elogiar publicamente o trabalho para tornar as Pérolas populares. Apareceu no Washington Post em 2002, daí até ao sucesso global foi rápido – hoje 750 jornais no mundo inteiro publicam a tira e é a esses que o Observador agora se junta orgulhosamente. Pastis também publicou livros e desenhos animados a partir da tira.

Já em junho deste ano, as Pérolas ganharam mais um alento. Bill Watterson, o mítico criador de Calvin & Hobbes que estava retirado das tiras há 19 anos, decidiu voltar a publicar, em parceria com Pastis. E não foi uma parceria qualquer: foi precisamente no quadrado do meio de uma série de tiras de Pérolas a Porcos que se deu o retorno. Na prática, funcionou como uma demonstração clara de apoio do grande mestre do cartonismo a Pastis.

O Observador publicará as Pérolas a Porcos, em rigoroso exclusivo para Portugal, a partir de segunda-feira. A tira será traduzida por Susana Valdez, Professora de Estudos de Tradução da Universidade Nova de Lisboa.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

 

Quem é Stephan Pastis

As experiências na infância podem marcar o futuro e, no caso de Stephan Pastis, marcou mesmo a sua profissão. Em criança, quando estava doente, a mãe dava-lhe um papel e várias canetas para se entreter – e funcionava. O cartunista de 46 anos passou pela Ciência Política e pelo Direito, mas nunca perdeu o jeito ao desenho pelo caminho. A primeira personagem de Pearls Before Swine, o Rat, surgiu durante uma aula “muito aborrecida” na escola de direito.Pastis_Stephen

Pastis desenha com canetas especiais vindas do Japão. Escreve “três ou quatro tiras” em quatro horas e demora duas horas para fazer o desenho. Como em todos os casos de sucesso, há sempre quem queira saber a fórmula. E o protagonista responde: “O que funcionou comigo foi estudar o estilo de escrita em Dilbert”. E foi com Scott Adams, o criador da série cómica, que conversou descontraidamente como está registado. Além de Dilbert, o cartunista é fã de Peanuts, Far Side, Calvin and Hobbes, e Get Fuzzy, entre outros.

A ligação do cartunista ao público infantil começou com o recente lançamento de “Timmy Failure: Mistakes were made”, um livro que conseguiu alcançar a quarta posição no ranking do New York Times de Melhor Best Seller para crianças. “Timmy é um detetive que consegue tornar cada mistério ainda mais misterioso”, sugere o próprio autor. O livro lançado no princípio deste ano recebeu críticas muito positivas. Entre elas, está a análise do The Guardian que dá nove numa escala de 10 à obra que, dizem, “faz rir até os vizinhos nos ouvirem”.

E chegamos aos prémios. Stepahn Pastis inaugurou as nomeações para o “National Cartoonists Society Newspaper Comic Strip Award” em 2002 e esteve seis vezes nomeado para o prémio de Cartoonist of the Year, promovido pela mesma entidade. Sagrou-se vencedor do primeiro galardão em 2003 e 2006.