Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O sexo oral é a prática mais comum e o dia preferido para fazer sexo é o sábado. Estas são algumas preferências sexuais dos jovens espanhóis, segundo o inquérito anual da Control. No que diz respeito às fantasias sexuais, 55,4% dos homens inquiridos revelaram que a mais comum consiste em ter relações sexuais a três. As mulheres estão divididas entre o trio (24%) e praticar bondage (24,3%), que augura mais uns pontos. A prática consiste em “alguém assumir o comando e o/a parceiro/a torna-se submisso/a”. Quanto ao sexo oral, a esmagadora maioria (86%) confessa que é a prática mais comum.

O inquérito anual da Control põe a nu os hábitos e as preferências sexuais dos espanhóis. O El Mundo divulgou este sábado as conclusões da terceira edição do Barómetro, que contou com a participação de 2.000 jovens do país vizinho, entre os 18 e os 35 anos. Mais de metade (52%) reconhece que aprende mais sobre sexo “à medida que vai praticando”, mas admitem que buscar informação na internet também ajuda.

Os jovens espanhóis iniciam a sua vida sexual aos 18 anos, diz a maioria. No que respeita à contraceção, sete em cada dez espanhóis preferem o preservativo masculino, enquanto 13% diz utilizar o método do “coito interrompido” e 6% assume que não usa qualquer método contracetivo. E há dados que revelam alguma falta de informação dos espanhóis no campo sexual: 14% dos jovens acredita que o dispositivo intra-uterino e a pílula tanto impedem uma gravidez como protegem das Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST), tal como o preservativo. Aliás, 52% dos espanhóis afirma que a maior preocupação dos jovens quando têm sexo sem preservativo é a possibilidade de engravidar. As DST vêm depois.

A maioria diz que o tempo médio do orgasmo está entre os 11 e os 30 minutos, embora 9% das mulheres admitam nunca ter sentido um. Os inquiridos têm uma média de 86 relações sexuais por ano. Para 71,5% dos jovens, o sexo é importante numa relação amorosa e uma esmagadora percentagem de 96% afirma que ter relações sexuais “melhora o ânimo”, reconhecendo que o “stress” do dia-a-dia diminui o apetite sexual. Mas as melhores notícias vêm no fim. O sábado é o dia preferido de 55% dos inquiridos para fazer sexo, e 42% diz que antes de dormir é a “altura ideal” para a intimidade. Já tem planos para esta noite?

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR