Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Liu  Hu foi detido em setembro de 2013 acusado de difamação, mas o Ministério Público informou que não tinha condições para avançar com o caso dentro dos prazos limites de detenção limite, previstos na lei, diz a agência noticiosa Reuters. O jornalista de investigação foi libertado quase um ano depois de acusar oficiais chineses de corrupção.

Zhou Ze, o advogado do jornalista do New Express, um jornal sediado em Guangzhou, escreveu na conta que tem no microblogue Weibo que sempre acreditou que Liu Hu era inocente.

O jornalista de investigação foi detido por suspeita de “fabricar e espalhar rumores”, depois de te acusado um diretor da Administração Estatal para a Indústria e Comércio chinesa de abandono de dever quando foi secretário do Partido Comunista num distrito do sudoeste da China, Chongqing. O advogado avançou que a origem da detenção poderia estar no facto de o jornalista ter na sua posse informações detalhadas contra vários oficiais, alguns com posições preponderantes em várias províncias.

O presidente chinês Xi Jinping tem feito da luta contra a extravagância e o desperdício uma prioridade da sua administração, com o objetivo de restaurar a fé no Partido Comunista, escreve a Reuters.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR