Thandie, de Thandiwe, Newton. O nome pode ser difícil de reconhecer, mas o rosto nem por isso. A beleza, muitos dirão, é indissociável das personagens que já encarnou. Mas, em entrevista, a atriz confessou algo pouco provável: que não se sentiu bonita até ter filhos (Ripley, 14, Nico, 10, e Booker de cinco meses). Ao Telegraph contou que sempre se sentiu desenquadrada, sobretudo na infância e na adolescência, o que a marcou enquanto jovem rapariga. Recordemos: esta é a mulher que roubou as atenções de Ethan Hunt (personagem interpretada por Tom Cruise) no filme Missão Impossível II. Além disso, foi considerada uma das mulheres mais sexy do mundo em 2000, ocupando o 48º lugar numa lista com 102 nomes elaborada pela revista Stuff, entre outros títulos que homenagearam a sua aparência. E caso ainda haja dúvidas, foi Thandie quem recusou um dos papéis principais em Os Anjos de Charlie (2000), o qual ficou, posteriormente, a cargo de Lucy Liu.

A atriz, com uma mãe proveniente do Zimbabwe e um pai inglês, nasceu em Inglaterra há 41 anos. O percurso profissional nem sempre foi feito nos tapetes encarnados de Hollywood e foi marcado por interrupções. Thandie passou pelo mundo da dança e chegou a licenciar-se em Antropologia na Universidade de Cambridge. E se ao início teve dificuldades em singrar como atriz nos Estados Unidos, a propósito de um sotaque inglês vincado, hoje é preferência de muitos que trabalham na respetiva área. Então, o que fez com que Thandie não se enquadrasse nos parâmetros da sociedade? “Numa pequena cidade em Cornwall eu não era vista como a pessoa com quem os rapazes queriam sair. E isso tem um efeito muito forte numa jovem rapariga. Mas assim que percebi que existiam diferentes caixas para diferentes tipos de beleza, como que uma língua, fui esperta em utilizar isso [em meu favor]“, explica.

Hoje diz-se satisfeita com a sua aparência e garante não se preocupar com a forma como a indústria cinematográfica encara a beleza feminina. Explica ainda que os realizadores, em termos de casting, encaixam as personagens em diferentes faixas etárias. Se aos 20 a mulher veste a pele de uma namorada sexy, aos 30 já começa a fazer de mãe. Aos 40 é a vez de ser uma mulher que trabalha em favor da lei, sempre de fato vestido. O que acontece quando se alcança a meta do meio século de vida? Thandie garante que, nessa fase, as mulheres são apontadas como “idosas”.

attends the EE British Academy Film Awards at The Royal Opera House on February 10, 2013 in London, England.

Ian Gavan/Getty Images

Mas o que serve para elas não se aplica aos homens. Tanto a atriz como a jornalista que a entrevistou para a publicação inglesa concordam que a espécie masculina de atores ‘nunca’ envelhece, especialmente agora que também recorre às operações plásticas, garante Thandie Newton. “Estão todos a fazê-las! A escolha é deles, claro. Em vez de julgá-los, estaria mais interessada em saber porque o fazem”.

Posto isto, a atriz não teme pelas filhas caso estas escolham uma vida à frente das câmaras. Em vez disso, fica feliz e explica que as pressões em torno da beleza feminina estão a mudar. Chega a acreditar, inclusive, que será mais fácil para elas: “Há uma nova onda de feminismo que é fantástica. (…) Trata-se de as mulheres serem aquilo que querem ser (…) É sobre a constante redefinição da noção de feminismo.”