Os concertos do festival Paredes de Coura iniciam-se hoje, mas muitos participantes já se encontram a acampar desde segunda-feira e asseguram que o ambiente é tão ou mais importante do que as bandas no cartaz. Ana Sofia, de 18 anos, é imediata sobre os motivos que a levam ao evento pela primeira vez: “Nós viemos ao festival pelo ambiente, não conhecemos as bandas”. Atrás de si, João Couto, da mesma idade, refere “o ambiente, a lagoa, a música e férias merecidas” como elementos fundamentais para a deslocação de Braga até Paredes de Coura.

A ideia é partilhada por Vasco Feliciano, de 21 anos, repetente em Paredes de Coura, que fez a viagem de três horas desde Tomar por, “acima de tudo, o bom ambiente e algumas bandas”, mencionando Beirut, Franz Ferdinand e James Blake. A mesma mensagem foi ainda transmitida por Ana Carolina, de 16 anos, deitada a ler junto ao rio perto de três amigas, também de Viana do Castelo, que a incumbiram de ser a entrevistada: “Não viemos tanto pelo cartaz, viemos pelo convívio, o ambiente é bom e curtimos disto. Estamos todas juntas, somos todas amigas”.

Já David, proveniente de Tomar com 24 anos, declara participar no festival por duas razões: “miúdas e música”, com menções para Cage The Elephant, Linda Martini, Thee Oh Sees, Seasick Steve, Beirut, Mac Demarco, entre outros. Ao fim da tarde, ainda foi possível assistir a uma visita do candidato às eleições primárias do Partido Socialista António Costa pelo campismo, durante a qual um grupo quis tirar uma fotografia (“uma ‘selfie’ socialista”, como justificou um dos jovens) e pôde ouvir vários gritos pelo seu nome.

Antes, Capicua tinha atuado numa ‘Music Session’ perto da ponte romana de Rubiães para um grupo de algumas dezenas de pessoas, onde disse várias das suas letras na margem do rio Coura. O festival de Paredes de Coura é hoje “ativado” com uma primeira noite de concertos, encabeçada pelos ingleses Public Service Broadcasting, já com a vila minhota em clima de música desde o fim de semana.

A organização do festival, que arranca hoje no anfiteatro natural junto ao rio Tabuão, espera receber perto de 28 mil pessoas – a lotação máxima – em cada um dos quatro dias de concertos. O Vodafone Paredes de Coura, que encerra no dia 23, foi eleito o melhor festival não urbano e com a melhor oferta de campismo em 2013.