No final do mês de abril, o Telegraph fazia o aviso: as autoridades na ilha de Maiorca tinham como intenção multar os turistas que saíssem da praia apenas com os biquínis ou fatos de banho vestidos. Meses passados, a BBC noticiou que foram os residentes que, fartos de ver turistas vestidos de forma pouco apropriada nas ruas da cidade, exigiram a introdução de novas normas de conduta.

O plano de boa cidadania (Good Citizen Plan, em inglês), da Câmara Municipal de Palma, apresenta um conjunto de multas que começam nos 50 euros — para quem não usar um top ou t-shirt fora da zona de praia e para quem andar de bicicleta no pavimento. O valor ascende a 200 euros caso o turista seja apanhado a comprar mercadoria a vendedores de rua ilegais.

Para turistas mal informados, as férias em Palma de Maiorca podem sair mais caras. Mas este não é único destino que impõe “regras” que, à partida, podem não ser as mais óbvias para quem o visita. Na cidade de Barcelona, legislação foi aprovada em 2011 no sentido de multar qualquer pessoa que seja vista na rua em biquíni ou, no caso de um homem, de tronco nu. Nestes casos, as multas podem variar entre 120 e 300 euros. Nudistas que se desviem das áreas designadas poderão ainda ter de pagar entre 300 a 500 euros.

Fora de terras espanholas, há outras normas a ter em conta, isto se o desejo em questão passa por ter umas férias tranquilas. Na Austrália, por exemplo, há determinados locais onde não é permitido praguejar em público. Caso o faça nos estados de Nova Gales do Sul, Victoria ou Queensland, pode pagar até cerca de 340 euros. Ainda assim, não existe uma lista oficial de palavras proibidas, diz o Independent, jornal que explica também que a questão levantou dúvidas quanto à liberdade de expressão posta, ou não, em causa.

Em Barbados, por seu turno, não há qualquer regulamentação que limite o uso de palavrões no vocabulário individual. No entanto, é ilegal usar roupas camufladas — nem mesmo as crianças se safam e estão proibidas de vestir roupas estilo militar. Já em Veneza, os visitantes não podem alimentar pombos, diz o Daily Mail, enquanto em Florença comer perto de uma igreja ou de um edifício público é considerado um crime punível com uma elevada multa.

Um pouco mais longe, em Singapura, existe uma lei que proíbe mascar pastilha elástica nos transportes públicos. E se isso pode parecer invulgar, talvez o mesmo se possa pensar do facto de ser ilegal buzinar perto de um hospital no Chipre. Já nas ilhas Fiji as mulheres não podem fazer topless e na Arábia Saudita não é possível fotografar locais militares ou edifícios estatais, incluindo palácios, assegura o Mirror.