A Comissão Vitivinícola da Região do Tejo (CVR Tejo) calcula que a colheita de uva de 2014 seja suficiente para produzir cerca de 50 milhões de litros de vinho, segundo um comunicado divulgado nesta segunda-feira. “As vindimas na região do Tejo já se iniciaram em meados de agosto e a CVR Tejo estima que a colheita venha a permitir a produção de cerca de 50 milhões de litros, um valor muito semelhante ao de 2013”, lê-se no comunicado.

No documento, a CVR Tejo frisa que “o mais importante é que os produtores mantenham a mesma qualidade do vinho conseguido nos últimos anos”, que tem colocado aquela região para “níveis de elevada qualidade” a nível nacional. Segundo o diretor geral da CVR Tejo, João Silvestre, “a melhoria da qualidade é uma preocupação constante dos produtores que são os responsáveis pelo prestígio alcançado pelos vinhos da região nos últimos anos e o nosso papel é aumentar a penetração e notoriedade a nível nacional e internacional”.

A CVR Tejo considera ainda que este desempenho irá manter fortes as exportações e a afirmação da marca ‘Wines of Portugal’. Os vinhos do Tejo atingiram nos primeiros seis meses do ano o número recorde de 189 medalhas em concursos nacionais e internacionais, contra as 142 de 2013, no mesmo período.

Ao todo foram distinguidos 123 vinhos tintos da região Tejo, 63 brancos e três rosés, num total de três medalhas de excelência, cinco de grande ouro, 57 de ouro, 80 de prata e 44 de bronze. A região dos vinhos do Tejo é composta por um total de 17 mil hectares, que produzem, anualmente cerca de 550 mil hectolitros. Os três maiores mercados da região foram, em 2013, Angola, Suécia e China.