Durão Barroso tem um dia para retirar as citações atribuídas a Putin numa conversa telefónica entre os dois, em que o líder russo terá dito que, se quisesse, invadiria Kiev em duas semanas, ou o Kremlin ameaça divulgar toda a conversa entre os dois líderes. O aviso veio do embaixador da Rússia em Bruxelas, Vladimir Chizhov.

O clima entre Bruxelas e Moscovo está cada vez mais pesado. Barroso terá falado demais (de propósito ou não, não se sabe) e contado a alguns dos comissários a sua conversa com Vladimir Putin de 29 de agosto, em que o Presidente terá dito que a Rússia pode conquistar Kiev “em duas semanas”. As declarações apareceram no jornal italiano “La Repubblica” e agora o Kremlin quer que Barroso esclareça publicamente o contexto da conversa até esta quinta-feira.

“Estou convencido que partilhar informação de conversas confidenciais a este nível vai muito para além do que é geralmente aceite nas relações diplomáticas”, Vladimir Chizhov

Caso isto não aconteça, Vladimir Chizhov lembra a Comissão Europeia que Moscovo tem “transcrições e registos áudio” da conversa, que não hesitará em publicar para esclarecer o contexto das declarações do presidente russo. Na carta enviada a Durão Barroso, Chizhov ameaça divulgar a conversa “na sua totalidade”, caso os esclarecimentos por parte das autoridades europeias não sejam feitos até quinta-feira.