O Twitter está em crescimento e vai lançar-se no mercado dos anúncios em Portugal. Como parte da sua expansão comercial, vai criar representações em mais doze países europeus e nele inclui-se Portugal — onde escolheu ter como parceiro a agência digital Live Content para a representação comercial. Segundo Domingosingos Folque Guimarães, diretor executivo da empresa, o convite para fazer a parceria com a rede social surgiu a partir do próprio Twitter. A Live Content contará com cinco pessoas dedicadas exclusivamente à parceria para fazer a ligação entre as marcas nacionais e rede de anúncios da plataforma. Entre os serviços oferecidos estarão a produção de micronotícias, a promoção de contas, perfis e aplicações e a geração de tráfico para sites.

“Queremos arrancar com grandes marcas que geram conteúdo. Vamos fazer um trabalho de marketing, fechando parcerias com grandes media como canais de televisão, produtoras, clubes de futebol e jornais, de modo a melhorar a sua utilização e aumentar a fidelidade”, comenta Domingos. Uma das estratégias a ser utilizada será trabalhar o Twitter como “segundo ecrã”, incentivando o público a comentar e interagir com programas de televisão ou eventos desportivos na rede social. “Há quatro dias a novela Belmonte foi trending topic mundial. Acreditamos que podemos fazer o mesmo com clubes durante as partidas e outros programas de televisão. Tudo o que o Twitter faz no mundo, queremos fazer em Portugal”, conclui.

O Twitter no mercado português

Os estudos apontam para que a penetração do Twitter no mercado português seja baixa, apesar de a rede não revelar números por país — segundo Katie Lampe, responsável pelas parcerias comerciais, “em Portugal há uma utilização saudável”. Os únicos números conhecidos são os relativos ao total de utilizadores no mundo inteiro: 271 milhões de contas ativas mensalmente. De acordo com Domingos Folque Guimarães, a agência Live Content está a fazer neste momento um auditoria para determinar o perfil do utilizador da plataforma em Portugal. Às análises que referem que o Twitter é muito bom para acompanhar eventos em tempo real mas menos bom para gerir interações com marcas, a responsável comercial prefere reforçar os seus aspetos positivos:

[jwplatform 3qDxj2Rw]

Esta estratégia comercial mais agressiva enquadra-se na renovação que o Twitter está a fazer de modo a tornar-se mais competitivo face ao seu maior rival, o Facebook. No lado comercial, para além desta introdução de anúncios locais, o Twitter também vai ter um botão de “Compre”, de modo a estimular a compra por impulso de produtos e serviços promovidos no feed noticioso.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Mas essa não será a maior mudança, porque depois de vários rumores foi já confirmado que o feed contínuo do Twitter vai sofrer alterações profundas. Desde sempre, quando se entra no Twitter acede-se diretamente a todos os conteúdos postados por todas as contas que seguimos — mas agora isso vai mudar e o Twitter vai adotar a mesma política do Facebook, segmentando os conteúdos. Isto quer dizer que só estará disponível uma pequena fração dos conteúdos disponibilizados pelas contas que se seguem, para lá das informações inseridas de forma comercial. E isto apesar das muitas queixas dos utilizadores mais ativos e fiéis, que não querem o Twitter reduzido a uma sequência de informações geridas por um algoritmo que os afaste de informação pretendida. Será interessante perceber se isso levará ao aumento ou à redução da notoriedade desta rede social.

Entrevista traduzida por Francisco Ferreira