O filme “E Agora? Lembra-me” de Joaquim Pinto foi escolhido pela Academia Portuguesa das Artes e Ciências Cinematográficas (Academia Portuguesa de Cinema) para representar Portugal como candidato ao Óscar de Melhor Filme Estrangeiro, anunciou a entidade em comunicado enviado à Lusa.

“E Agora? Lembra-me” é um documentário autobiográfico produzido pela C.R.I.M Produções, estreado no final de agosto no Cinema Ideal em Lisboa, e que já foi premiado em vários festivais de cinema nacionais e estrangeiros. Este narra a história do próprio autor, Joaquim Pinto, ao longo de vinte anos e da sua vivência com a sida e com a hepatite C, através de apontamentos variados sobre ensaios clínicos com drogas tóxicas, memórias e o amor.

O documentário foi distinguido no Festival de Locarno na Suíça com o Prémio Especial do Júri, o Prémio da Crítica e o Prémio Júri Jovem. Foi também premiado nos festivais DocLisboa, nos Encontros Internacionais do Documentário em Montréal, e no Cineport no Brasil, entre outros.

Criada em 2011, a Academia Portuguesa de Cinema, presidida pelo produtor Paulo Trancoso, é composta por mais de uma centena de membros, desde realizadores, atores, produtores e diretores de fotografia.