A atriz Jessica Athayde desfilou em biquíni no segundo dia da ModaLisboa, a convite da marca Cia. Marítima, e foi alvo de críticas ao seu eventual excesso de peso. Os comentários, na grande maioria de mulheres, geraram polémica e levaram os temas inerentes à “ditadura da imagem” de volta ao debate social. A artista não tardou em responder: publicou no blogue pessoal um texto intitulado “Para mulheres reais”, onde defende que o “bulliyng permanente” tem de acabar, pelo que pretende ser uma voz ativa num “caminho a ser percorrido por todas”.

“Qual não foi a minha perplexidade quando observo que, a propósito de uma fotografia menos feliz, sou alvo de críticas, comentários desagradáveis e uma série de mimos, próprios deste mundo das redes sociais em que ainda nos estamos a habituar a viver. Estes comentários foram feitos na maioria por mulheres. Mulheres, vou repetir.

Mulheres que são filhas, mulheres que são mães, mulheres que ainda não perceberam que cada vez que cedem à tentação de atacar outra mulher com base nas suas características físicas, estão a enfraquecer a condição feminina, em vez de lhe dar força. Estão a cultivar as inseguranças, as desordens alimentares, a escravidão da imagem.”

Jessica Athayde aproveitou a situação para fazer um apelo à população feminina, para que esta se insurja contra os preconceitos associados à imagem da mulher. Porque cada mulher “é um mundo além do corpo que a recebe”, rejeita os olhares redutores dos outros e incentiva a uma união coletiva para proteger “a dignidade da condição feminina”. É nesse sentido que se refere ao discurso inspirador da atriz e embaixadora das Nações Unidas para a Boa Vontade, Emma Watson, que fala sobre liberdade e igualdade de géneros.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Entre as personalidades portuguesas que optaram por defender a atriz, destaque para os homens. Como David Fonseca e Rui Unas. O cantor tornou público uma fotografia, de uma sessão fotográfica para a revista Máxima e onde aparece de saltos altos, seguida de uma citação retirada da entrevista dada à mesma publicação em setembro de 2014.

“O difícil não foi calçar os sapatos, mas andar neles. Como é possível conseguir equilíbrio em cima de saltos como estes? Mas, além da dificuldade óbvia em caminhar, consegui adivinhar a pressão que o mundo moderno exerce sobre as mulheres para pertencerem a um epíteto de beleza definido por marcas e retocadores profissionais de Photoshop. Essas imagens de sofisticação falsa e construída acabam por definir padrões inalcançáveis, geram insegurança em lugar de projetarem a verdadeira força e beleza de ser uma mulher. Beleza por vezes distorcida na superficialidade de códigos em que é transposta no mundo publicitário.” Facebook de David Fonseca

O comediante e ator Rui Unas cortou nas palavras, mas não na intenção, referindo-se à imagem de Athayde como um exemplo de sensualidade, opinião que faz questão de distanciar das condições de feminista e figura pública. “Gosto de mulheres confiantes, seguras, inteligentes, felizes… e com carne e saudáveis. Para mim, sexy é isto”, escreveu no perfil público de Facebook.

Mas também de mulheres choveram elogios. A modelo Sara Sampaio aproveitou para expressar a sua opinião na mesma rede social, onde disse concordar com o que a atriz Jessica Athayde escreveu no respetivo blogue. Optou ainda por acrescentar algumas palavras, explicando que também ela já foi alvo de críticas em relação ao próprio corpo. Opiniões depreciativas vindas, na grande maioria, de mulheres.

“Já perdi a conta das vezes que me mandaram ir comer um hambúrguer, que me chamaram anorética ou esqueleto, etc. Tantas foram as vezes que se calhar já devia estar habituada, no entanto, sempre que leio essas palavras dói.”, lê-se na página de Facebook.

Sara Sampaio vai mais longe e defende-se enquanto modelo: “Digo isto porque vi pessoas a partilhar o texto da Jessica, em que ela própria diz que cada corpo é bonito, e a dizer que preferiam ter o corpo da Jessica ao dos esqueletos da passarela! Os ‘esqueletos’ são humanos! (…) Aquele slogan de ‘a mulher verdadeira tem curvas’ sempre me aborreceu. Desculpem, e agora vou ser um pouco rude, mas a mulher verdadeira, como eu aprendi, tem uma vagina”. 

Esta quarta-feira, 15 de outubro, o blogue Meninas de Bâton, que terá gerado a polémica ao fazer um primeiro comentário negativo, escreveu um texto com o qual tenta encerrar o assunto, não sem antes apelar à liberdade de expressão.

“A propósito de uma fotografia que publicámos na página do Facebook do nosso blog, no domingo à noite, em que aparecia a atriz Jessica Athayde a desfilar em roupa de praia na Moda Lisboa e que gerou um disputado e acalorado rol de críticas, questionamo-nos: haverá ou não o direito a emitir uma opinião?

Quanto ao comentário que partilhámos com os nossos fãs que intitulava a tal imagem: não tivemos intenção de desonrar alguém e muito menos de incitar ao que quer que seja. Não quisemos enaltecer-nos ou declarar-nos as maiores. Longe disso.”