Portugal colocou nesta quarta-feira mil milhões de euros de dívida a curto prazo, com emissões de títulos a três e nove meses. Os custos de financiamento aumentaram na emissão de prazo mais curto para 0,11%.

Segundo informação da página do Instituto de Gestão do Crédito Público (IGCP), os títulos com prazo de nove meses foram colocados com uma taxa de juro de 0,199%.

“Portugal atingiu hoje o objetivo pretendido de levantar mil milhões de euros no mercado monetário”, diz Steven Santos, gestor da XTB Portugal, em comentário de reação à emissão de dívida. O Tesouro português “foi bem-sucedido numa manhã bastante movimentada no mercado europeu de dívida, em que a Grécia levantou 812 milhões de euros em dívida a três meses e a Alemanha financiou-se novamente com juros negativos, ao emitir obrigações que vencem em 2019”, acrescenta o especialista.

Este deverá ter sido o antepenúltimo leilão de dívida de curto prazo até ao final do ano. Estão já pré-agendadas emissões para os dias 19 de novembro e 3 de dezembro. Além disso, o Tesouro português admite também fazer mais um leilão de dívida de longo prazo (obrigações do Tesouro) depois do realizado na última quarta-feira, 8 de outubro.