Rádio Observador

Agricultura

Cogumelos são setor em expansão em Vila Pouca de Aguiar

119

Os cogumelos são um setor em expansão em Vila Pouca de Aguiar, que acolhe duas unidades de produção deste fungo e onde, este ano, foram recolhidas 20 toneladas pelos campos.p

Cogumelos são setor em expansão

Os cogumelos são um setor em expansão em Vila Pouca de Aguiar, que acolhe duas unidades de produção deste fungo e onde, este ano, foram recolhidas 20 toneladas pelos campos, numa atividade que complementa o rendimento familiar. O presidente da Câmara de Vila Pouca de Aguiar, Alberto Machado, afirmou hoje que os cogumelos “ganham cada vez mais importância” neste concelho transmontano.

Este ano chuvoso foi favorável para a recolha deste fungo e, segundo o autarca, a produção de cogumelos silvestres “ronda as 20 toneladas” em 2014. A apanha movimenta centenas de pessoas no concelho, algumas das quais apenas para consumo próprio, mas uma percentagem significativa também recolhe para comercialização, o que representa um rendimento complementar ao orçamento familiar.

“Esta atividade envolve praticamente a comunidade aguiarense. Poucos são os aguiarenses que não aproveitam algum momento de lazer para passearem nos campos e recolherem cogumelos”, sustentou Alberto Machado. No entanto, o concelho está também a ser palco para a concretização de projetos industriais ligados ao setor.

Duarte Marques, vereador e dirigente da Associação Florestal e Ambiental de Vila Pouca de Aguiar (Aguiarfloresta), referiu que já estão duas unidades de produção de cogumelos em funcionamento e, uma terceira, que está em fase final de implementação.

Trata-se de projetos de produção de substrato para cogumelos de cultivo, representando em investimento de 100 mil euros por unidade, que contaram com o apoio comunitário do PRODER. “Há outras iniciativas, outros interessados nesta temática, mas estão a aguardar a abertura do novo quadro comunitário de apoio para saber quais as linhas de financiamento e de ajuda disponíveis”, frisou o vereador.

Os responsáveis falavam à margem da apresentação da XIII Mostra Gastronómica de Vila Pouca de Aguiar, que decorre entre 08 e 09 de novembro e onde os cogumelos se juntam aos outros sabores da montanha, como as castanhas e o cabrito.

A produção de castanha regista uma quebra de 80% no concelho, devido a um fungo que afetou os castanheiros, enquanto o efetivo de cabritos é de seis mil neste território. Ao evento aderiram 13 restaurantes do concelho que vão propor pratos como a “míscarada”, feito com cogumelos refogados, ou ainda quiche ou pataniscas de cogumelos, caldo ou pudim de castanha e o cabrito assado.

Depois, no recinto da feira, dezenas de expositores vão vender cogumelos recolhidos no concelho, e haverá ainda alugar para o encontro nacional de produtores ou demonstrações de instalações de rega e de produção de fungos. O presidente Alberto Machado referiu ainda que Vila Pouca de Aguiar acolhe o único posto de certificação de cogumelos do país, onde técnicos especializados confirmam se o produto é de qualidade e comestível.

 

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)