Morreu o primeiro jihadista português a combater pelo Estado Islâmico (EI). Sandro “Funa”, de 36 anos, faleceu na sequência de ferimentos graves depois da cidade síria onde combatia ter sido bombardeada no final de outubro. A família já terá sido informada pelos serviços de segurança, avança o jornal Público.

Sandro converteu-se ao Islão quando, em 2007, deixou Lisboa para se mudar para Londres. Foi na capital inglesa que terá sido convencido por forças radicais a rumar à Síria para se juntar, no início deste ano, à organização terrorista.

O jovem de origem cabo-verdiana, que antes de se mudar para Londres residia na linha de Sintra, é a primeira vítima portuguesa no conflito que opõe o EI à coligação internacional, liderada pelos norte-americanos. Nos últimos meses, a coligação tem feito bombardeamentos aéreos seletivos em várias cidades da Síria e do Iraque.

De acordo com último relatório anual de segurança interna de 2013, publicado em abril, existem, pelo menos, doze jihadistas a combater na Síria e no Iraque.