O ser humano não foi feito para estar oito horas sentado em frente a um computador. O corpo relaxa, a má postura instala-se e, para aqueles que não fumam, as pausas no trabalho para esticar os músculos ficam esquecidas até à hora de almoço ou de saída. Agora que o mau tempo chegou e que as pessoas se deixam ficar ainda mais tempo afundadas na cadeira, a Time deixa cinco dicas para quem trabalha sentado numa secretária, mas que não quer que a saúde saia prejudicada.

1. Ajuste o monitor

Para quem trabalha num portátil, o melhor é pedir um aumento. Não de salário, mas de altura. De acordo com Jim Sheedy, diretor do Vision Performance Institute, na Universidade norte-americana do Pacífico, o topo do ecrã do computador deve estar ao nível dos olhos. É que se estiver muito abaixo, a cabeça também aponta para baixo, causando dores no pescoço e nas costas. Se estiver demasiado alto contribui para a secura dos olhos. Há várias bases para portáteis à venda, a preços simpáticos, para facilitar o nivelamento correto do computador.

2. Atenção à má postura

Uma má postura pode provocar, a médio e longo prazo, dores na cervical, lombalgias e hérnias discais, entre outras patologias do foro músculo-esquelético. É, por isso, fundamental não descurar este ponto e resistir à tendência de inclinar o corpo em direção ao computador, porque o desequilíbrio provoca pressão no pescoço e na coluna vertebral. É melhor optar por retrair o queixo, para manter o pescoço e a coluna alinhados.

man_evolution-meme

©D.R.

3. Levante-se…

O sedentarismo, em particular o tempo em que uma pessoa fica sentada a trabalhar, a ver televisão ou nos transportes, pode elevar em até 64% o risco de morte por doenças cardiovasculares. A conclusão é de um estudo feito em 2010 pela Universidade da Carolina do Sul, nos Estados Unidos, mas os alertas sobre o perigo de passar demasiado tempo sentado são vários. O ser humano não foi feito para passar o dia sentado. De acordo com uma investigação feita pela Universidade de Minesota, secretárias preparadas para trabalhar tanto de pé como sentado, como as “Jarvis Desk”, ajudaram os trabalhadores a passar mais 25% do tempo de trabalho de pé, o que pode aumentar a sensação de bem-estar e diminuir tanto a fadiga como o apetite.

4. … E ande

Melhor ainda do que ficar de pé é andar. Pôr o corpo a mexer. A Time refere que uma nova tendência: passadeiras de corrida na secretária, em que o trabalhador pode caminhar enquanto desempenha as tarefas no computador. Os custos elevados da medida podem desencorajar muitos empregadores portugueses, pelo que mudar de posição e fazer pausas para esticar as pernas, alongar os músculos e caminhar podem ser uma alternativa igualmente saudável. Além disso, está provado que as pausas são essenciais à concentração e ao desempenho.

5. Descontraia-se

Entre os vários problemas causados pelo stress está a contração dos músculos. Mandar uma piada, dar uma olhadela ao Facebook ou ler notícias não deve ser visto como incompatível com o profissionalismo. Pelo contrário. Todo o ser humano precisa de pausas. A Time dá o exemplo da técnica “Pomodoro”, um método de gestão de tempo desenvolvido por Francesco Cirillo no final dos anos 1980. A técnica consiste em utilizar um cronómetro (o nome deriva daqueles relógios de cozinhaem forma de tomate) para dividir o trabalho em períodos intensos de 25 minutos, aos quais se seguem cinco minutos de intervalo.