O primeiro dia de interrogatórios no caso dos vistos dourados terminou ao fim de cerca de 13 horas, tendo sido ouvidas apenas três pessoas, segundo um dos advogados à saída do Tribunal. Faltam ainda ouvir oito dos onze suspeitos.

Foi ouvido Manuel Palos, diretor do Serviço de Estrangeiro e Fronteiras (SEF), e Paulo Eliseu, dos serviços de notariado, estando ambos indiciados por corrupção. Segundo o Diário de Notícias, Manuel Palos é suspeito de apressar a concessão de vistos dourados a troco de uma comissão de 10%. Terá sido mesmo escutado pela PJ a responder positivamente a alguns pedidos nesse sentido.

No sábado, Terá sido ouvido ainda um dos três empresários chineses.

Só depois de ouvidos todos os suspeitos é que o Ministério Público irá propor as medidas de coação que pretende que sejam aplicadas, para então serem decididas pelo juiz Carlos Alexandre.

Até serem conhecidas as medidas de coação, Manuel Palos ficará detido na cadeia de Évora, um estabelecimento prisional para militares e elementos das forças de segurança.

Durante este sábado, a TVI tem avançado que um funcionário de uma agência da Caixa de Crédito Agrícola de Tabuaço, Viseu, foi constituído arguido por ter conhecimento do esquema.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Carlos Alexandre, juiz encarregue do processo, foi o primeiro a chegar ao edifício das varas criminais no campus da Justiça, em Lisboa, por volta das 8h40, neste sábado.