Seul, 23 nov (Lusa) — O líder norte-coreano supervisionou uma manobra militar, revelou hoje a agência KCNA num momento marcado por ameaças de Pyongyang face a uma resolução recente da ONU que condena a violação de Direitos Humanos no país.

De acordo com a agência, Kim Jong-un supervisionou o exercício das unidades combinadas 572 e 630 do Exército Popular da Coreia, que incluiu uma manobra de desembarque e de ataque a posições inimigas.

Como é costume, a agência estatal de notícias da Coreia do Norte não precisou a data ou o local em que decorreram os exercícios.

Além de Kim Jong-un, outros militares de alta patente da Coreia do Norte acompanharam os exercícios, entre eles Hwang Pyong-so, vice-presidente da Comissão Nacional de Defesa e considerado o atual número dois do regime, e Ri Yong-gil, chefe de Estado Maior norte-coreano.

A notícia da KCNA é divulgada numa altura marcada por ameaças de Pyongyang contra uma resolução da ONU adotada esta semana e que pretende julgar, no Tribunal Penal Internacional, os “crimes contra a humanidade” perpetrados pelo regime.

Além disso, Pyongyang critica também as manobras militares que Seul realizada regularmente com os Estados Unidos.

As duas Coreias estão tecnicamente em guerra desde a guerra na península — entre 1950 e 1953 — no qual os Estados Unidos liderou um contingente da ONU que deu apoio a Seul e que terminou com um cessar-fogo e não com um Tratado de Paz.