Rádio Observador

Natal

Qual é o país da Europa que goza mais feriados na época natalícia?

A Europa tem tradições variadas no que à quadra natalícia diz respeito. Mas uma coisa todos os países do velho continente têm: feriados. Uns mais e uns menos. Portugal é dos que tem menos.

YURI KADOBNOV/AFP/Getty Images

O Natal e a passagem de ano são momentos de festa e de celebração em quase toda a Europa. As tradições variam de país para país e variam especialmente em função da religião dominante em cada um. Mas há uma coisa que é comum a todos, inclusive à Turquia, de maioria islâmica: os feriados e os dias de descanso do trabalho. A única coisa que varia é a quantidade de dias de folga associados à quadra natalícia. Quem ganha nesta corrida?

O jornal britânico The Guardian fez um apanhado dos feriados praticados em cada país da Europa neste período entre 15 de dezembro e 15 de janeiro e chegou a uma conclusão: a Rússia é o melhor país para se viver nesta altura do ano, com os trabalhadores a gozarem um total de oito dias de descanso. É que entre o Ano Novo e o dia seguinte ao Natal, que na igreja católica ortodoxa é celebrado no dia 7 de janeiro, todos os dias são feriado. O que perfaz um total de oito dias de folga.

Logo a seguir à Rússia vem a Arménia e o Lichtenstein, que têm feriados desde a noite de Natal até ao ‘Boxing Day’ (26 de dezembro), que é o dia depois da troca de presentes, assim como têm folga no dia antes e depois ao Ano Novo. E o Dia de Reis (6 de janeiro) também está incluído no pacote.

A maioria dos países da Europa ocidental, no entanto, tem um calendário parecido, com feriados no dia de Natal (25 de dezembro), assim como no dia seguinte, que é o dia de Santo Estêvão – celebrado em países como a Áustria, a Croácia, a República Checa, a Dinamarca, a Estónia, a Finlândia, a Suécia, a Alemanha, a Irlanda, ou o Reino Unido, onde também é conhecido como o ‘Boxing Day’ – e no dia de Ano Novo. Alguns países católicos celebram ainda o Dia de Reis.

Portugal é dos países que tem menos feriados nesta época festiva, com apenas dois: o dia 25 de dezembro e o 1 de janeiro.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: rdinis@observador.pt
Cristianismo

O natal, os três reis magos e outras fantasias

Donizete Rodrigues
144

O mito dos três reis magos é apenas uma representação simbólica, um modelo explicativo de grande significado para reforçar a importância de Jesus como salvador e unificador de toda a humanidade

Cristianismo

A douta ignorância dos sábios /premium

P. Gonçalo Portocarrero de Almada
1.183

Abundam os improvisados comentários teológicos, cozinhados à pressão na Bimby da opinião pública. Já faltou mais para um Prós e Contras sobre a virgindade de Maria …

Jesus Cristo

Narrativas evangélicas do Natal

Anselmo Borges
159

A Igreja só se justifica enquanto vive, transporta e entrega a todos, por palavras e obras, o Evangelho de Jesus, a sua mensagem de dignificação de todos, mensagem que mudou a História.

Natal

A revolução divina

Luis Teixeira
180

O livre arbítrio é central na mensagem cristã e significa uma ruptura clara na História. Com o cristianismo torna-se um princípio basilar que cada pessoa é inteiramente responsável pelas suas escolhas

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)