O Natal e a passagem de ano são momentos de festa e de celebração em quase toda a Europa. As tradições variam de país para país e variam especialmente em função da religião dominante em cada um. Mas há uma coisa que é comum a todos, inclusive à Turquia, de maioria islâmica: os feriados e os dias de descanso do trabalho. A única coisa que varia é a quantidade de dias de folga associados à quadra natalícia. Quem ganha nesta corrida?

O jornal britânico The Guardian fez um apanhado dos feriados praticados em cada país da Europa neste período entre 15 de dezembro e 15 de janeiro e chegou a uma conclusão: a Rússia é o melhor país para se viver nesta altura do ano, com os trabalhadores a gozarem um total de oito dias de descanso. É que entre o Ano Novo e o dia seguinte ao Natal, que na igreja católica ortodoxa é celebrado no dia 7 de janeiro, todos os dias são feriado. O que perfaz um total de oito dias de folga.

Logo a seguir à Rússia vem a Arménia e o Lichtenstein, que têm feriados desde a noite de Natal até ao ‘Boxing Day’ (26 de dezembro), que é o dia depois da troca de presentes, assim como têm folga no dia antes e depois ao Ano Novo. E o Dia de Reis (6 de janeiro) também está incluído no pacote.

A maioria dos países da Europa ocidental, no entanto, tem um calendário parecido, com feriados no dia de Natal (25 de dezembro), assim como no dia seguinte, que é o dia de Santo Estêvão – celebrado em países como a Áustria, a Croácia, a República Checa, a Dinamarca, a Estónia, a Finlândia, a Suécia, a Alemanha, a Irlanda, ou o Reino Unido, onde também é conhecido como o ‘Boxing Day’ – e no dia de Ano Novo. Alguns países católicos celebram ainda o Dia de Reis.

Portugal é dos países que tem menos feriados nesta época festiva, com apenas dois: o dia 25 de dezembro e o 1 de janeiro.