De acordo com o museu, esta coleção, “única no mundo”, vem da Sala das Porcelanas do Palácio de Santos, que é atualmente sede da Embaixada de França em Portugal, para revelar o gosto decorativo oriental seiscentista daquela residência nobre.

Resultado de uma parceria inédita com a Embaixada de França, o MNAA irá apresentar a exposição com cerca de 60 pratos da Sala das Porcelanas, onde estão a decorrer atualmente trabalhos de conservação e restauro.

Os pratos foram encastrados no teto de talha dourada, entre 1667 e 1687, e saem pela primeira vez do palácio para serem apresentados ao público, destaca o MNAA.

Residência real desde o final do século XV, adquirida em 1629 pela família Lencastre, o Palácio de Santos teve obras estruturais entre 1667 e 1687, e foi nessa altura criada a Sala das Porcelanas, com teto piramidal de talha dourada.

No teto foram incrustados mais de 250 pratos de porcelana chinesa, na quase totalidade com decoração azul e branca, um acervo que foi preservado pelos sucessivos proprietários.

O conjunto ilustra a história da própria produção cerâmica na China, entre os inícios do século XVI e o final do século XVIII, e o comércio com a Europa.

A mostra é inaugurada hoje, às 18h30, abre ao público na sexta-feira e fica patente até maio.