Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Vamos a factos. O Papa Francisco, cujo apego à modernidade é sobejamente reconhecido, tem quase 6 milhões de seguidores no Twitter; já Deus tem menos de 2 milhões. O Papa Francisco segue oito contas de Twitter, embora todas elas sejam suas, em oito línguas diferentes; já Deus dedica a sua atenção a uma divindade que não Ele próprio: Justin Bieber.

Registada no Twitter desde Outubro de 2010, a conta @TheTweetOfGod é uma criação do escritor americano de humor David Javerbaum, cuja carreira já rendeu 13 prémios Emmy e incluiu as funções de head writer e produtor executivo de The Daily Show with Jon Stewart. O sucesso da criação, que acompanhou a edição do livro The Last Testament – A Memoir by God, é de tal ordem que está agendada para maio deste ano, na Broadway, a estreia da peça An Act of God, que Javerbaum escreveu com base na sua conta no Twitter.

A conta deste Deus no Twitter é, como facilmente se imagina, um exercício permanente (está quase a atingir os 10 mil tweets) de humor. Um humor que, ora inspirado na atualidade ora nas grandes questões da existência, dificilmente carimbará ao seu autor o passaporte para o paraíso. Oriundo, com lógica, de “Everywhere-ish”, Deus apresenta-se no Twitter com a eloquência de um rapper: “I’m your dope-ass divinity, trollin’ with My trinity, droppin’ top tweets in your immediate vicinity, flingin’ fly phares from the fringes of infinity”. É segui-Lo.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR