O Futebol Clube do Porto – Futebol, SAD registou um prejuízo de 8,440 milhões de euros no primeiro semestre de 2014/2015, representando uma melhoria face ao prejuízo de 29,239 milhões de euros do período homólogo anterior.

Em comunicado enviado à Comissão do Mercado dos Valores Mobiliários (CMVM), o FC Porto-Futebol, SAD apresenta um resultado líquido consolidado do primeiro semestre de 2014/2015 negativo em 8,440 milhões de euros, um valor que significa uma melhoria face ao primeiro semestre do ano anterior e que a sociedade justifica com “o crescimento dos resultados com transações de passes de jogadores”, que atingiram os 23,437 milhões de euros, contra os 2,573 milhões de euros alcançados no primeiro semestre de 2013/2014.

Os resultados operacionais são positivos em 94 milhões de euros nos seis meses em causa, o que representa “um crescimento significativo” face aos 20,211 milhões de euros negativos apresentados em termos homólogos. Os proveitos operacionais, excluindo proveitos com passes, aumentaram 27% (mais 11,038 milhões de euros), para 51,286 milhões de euros, sobretudo devido “ao incremento das receitas obtidas pela participação nas provas europeias”. Por sua vez, os custos operacionais, excluindo custos com passes de jogadores, cresceram 23% (mais 11.326 milhões de euros), para 59,933 milhões de euros, acompanhando o aumento dos custos com o pessoal. “No entanto, realça-se o facto de, neste exercício, estarem registados os prémios associados à excelente ‘performance’ desportiva da equipa nas competições europeias”, reforça a sociedade no comunicado.

Quanto ao EBITDA (resultado antes de juros, impostos, amortizações e depreciações) melhorou, atingindo os 16,749 milhões de euros, face aos 5,119 milhões de euros negativos registados nos primeiros seis meses de 2013/2014. No documento, o FC Porto – Futebol, SAD destaca a integração da EuroAntas, sociedade cuja principal atividade é a exploração no Estádio do Dragão, no seu perímetro de consolidação, mas explica que o seu impacto “é reduzido em termos de resultados, mas bastante significativo na situação patrimonial do Grupo”.

Como tal, o capital próprio consolidado atingiu os 54,602 milhões de euros em 31 de dezembro de 2014, com a integração da EuroAntas, “cuja estrutura patrimonial está bastante consolidada”, e com o aumento de capital social da FC Porto — Futebol, SAD em 37,5 milhões de euros, mediante a emissão de ações preferenciais sem voto. Na sequência deste aumento do capital, que foi integralmente subscrito pelo Futebol Clube do Porto, acrescenta, o capital social da sociedade totaliza agora os 112,5 milhões de euros.

O ativo líquido aumentou 66%, alcançando os 333,113 milhões de euros, pela incorporação do Estádio do Dragão, propriedade da EuroAntas, cujo valor líquido em 31 de dezembro de 2014 atingia os 138,2 milhões de euros. O passivo total chega aos 278.511 milhões de euros, o que representa um aumento de 45.048 milhões de euros face a 30 de junho de 2014, justificado pela agregação do passivo da EuroAntas, sociedade que assumiu o ‘project finance’ para a construção do estádio.