Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

“Ou há respeito ou a conversa acabou”. A frase é de uma jornalista libanesa e dirige-se a um líder islâmico radical, depois de este a ter mandado calar. O episódio entre a jornalista Rima Karaki e o sheikh Hani Al-Siba’i aconteceu no dia 2 de março na Al-Jadid/New TV do Líbano. 

A jornalista entrevistava o sheikh sobre a recente ligação de vários cristãos a grupos islâmicos, como o ISIS. O líder radical apresentava alguns fundamentos históricos e Rima Karaki interrompe para lhe pedir que se focasse no presente. “Mas no presente, quais são os slogans usados para atrair cristãos?” “Não me interrompa. Eu respondo quando quiser”. A partir daí, a conversa azedou até Hani Al-Siba’i mandar calar a jornalista libanesa, numa reação muito pouco educada.

O vídeo foi divulgado pelo Middle East Media Research Institute – MEMRI (Instituto de Investigação de Media do Médio Oriente) e está a dar que falar por refletir o “estereótipo de subserviência” ligado aquelas mulheres. Foi publicado no Youtube a 4 de março e já conta com mais de 1 milhão e 300 mil visualizações.

https://www.youtube.com/watch?v=bOlpK6Yj5a4

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR