Um é o 44º Presidente dos Estados Unidos da América e a outra uma socialite que em tempos tentou “deitar a Internet a baixo” ao posar praticamente nua — de costas — para a revista papermag. São 53 anos de vida e outros tantos de política para o primeiro, e pouco — mas suficiente — tempo de estrelato para a mulher que ascendeu à fama com a ajuda de um reality show. O que tem Barack Obama que ver com Kim Kardashian West? Os dois estão na lista das 30 pessoas mais influentes da Internet, realizada pela Time. Mas já lá vamos.

Qualquer pessoa com uma ligação à Internet consegue começar uma conversa global, escreve a publicação norte-americana. Exemplo disso é o vestido azul e preto (ou branco e dourado) que inundou as redes sociais na semana passada: tudo começou quando uma cantora escocesa de 21 anos, Caitlin McNeill, se serviu do Tumblr para questionar os fãs sobre a cor real da peça de roupa. Curiosamente, ela figura no último lugar na lista que teve em conta os seguidores em diferentes redes sociais, o tráfego de sites oficiais e a capacidade de uma figura gerar notícias ao redor do globo, entre outros fatores.

A lista é encabeçada por um anónimo (para alguns). Trata-se de Felix Arvid Ulf Kjellberg, também conhecido por PewDiePie, um sueco de 25 anos que é seguido por 35 milhões de subscritores no Youtube (contam-se quase 8 mil milhões de visualizações). E o que faz o jovem para atrair tanta atenção? Publica vídeos onde se vê o próprio a jogar — como quem diz experimentar — videojogos com uma narração “carismática”.

Segue-se a cantora Taylor Swift, que encontrou em 2014 um ano de ouro, com Barack Obama e Kardashian a ocuparem o quinto e sexto lugar, respetivamente. A posição de Obama é algo fácil de alcançar, alega a Time, não fosse ele o líder mundial mais popular tanto no Facebook como no Twitter. Bateu, inclusive, o recorde de acessos no Reddit na secção “Ask Me Anything” (“Pergunte-me qualquer coisa”, em português) — na altura o site caiu devido à quantidade de utilizadores a acederem à página.

Kim, por seu turno, destaca-se no Instagram, uma plataforma digital onde pratica a “arte da selfie” para o divertimento dos seus 27 milhões de fãs. Mas há mais coisas que se podem dizer sobre a socialite que aproveitou a semana da moda em Paris para passar de morena a loira: a Elle britânica vê nela uma das mulheres mais influentes do mundo e para o “título” ajuda ser uma empresária de sucesso que faz cerca de 2.500 euros por hora e tem 20 novos seguidores a cada minuto nas redes sociais.

Celebridades à parte, o grande vencedor da lista parece ser a pessoa comum que testa capacidades e define limites no universo digital e, sendo bem-sucedida, angaria mãos cheias de seguidores. Entre as 30 pessoas estão 11 que, à partida, não são conhecidas do público em geral, desde um hacker que diz ter “invadido” perto de 200 sites a um adolescente de 17 anos que faz bom uso dos seis segundos permitidos pela Vine (duração dos vídeos que a rede social permite criar). Não esquecer uma das transexuais com maior visibilidade nos Estados Unidos da América, Janet Mock.

E sim, Beyoncé, Gwyneth Paltrow e Shakira também figuram entre as pessoas mais influentes do universo digital, lado a lado com a Presidente da Argetina, Cristina Fernández de Kirchner.

Há uma lusodescendente entre os 30 mais influentes 

Roupa e maquilhagem é com ela. Bethany Mota é um popular blogger de moda e beleza que já acumulou qualquer coisa como 8 milhões de subscritores no Youtube. Mais do que isso é, aos 19 anos, uma empresária de sucesso que leva para casa cerca de 500 mil dólares (mais de 450 mil euros) por ano só em publicidade. Já lançou, inclusive, música original e teve a oportunidade (rara) de entrevista Barack Obama que está só um pouco acima dela na referida lista. Tem ainda uma linha de roupa própria, o que faz dela, assegura a Forbes, a designer mais procurada no Google do mundo. E sim, tem ascendência portuguesa.

A lista completa pode ser seguida aqui.