Aquele que era suposto ser um ato diplomático destinado a assinalar as boas relações entre a Roménia e a Alemanha acabou por se transformar numa embaraçosa gafe. Durante uma conferência de imprensa, após um encontro em Bucareste entre os ministros dos Negócios Estrangeiros dos dois países, o responsável pela diplomacia romena ofereceu uma brochura ao seu congénere germânico. Até aqui, tudo correu bem.

Acontece que, na capa da publicação, surgiam dois mapas. Um, da Roménia, preenchido com as cores da respetiva bandeira. O outro parecia ser o mapa da Alemanha, decorado com os tons da bandeira do país. Sucede que um olhar um pouco mais atento permitia perceber que aqueles que era suposto serem os contornos da geografia política alemã eram, afinal, os de França.

Bogdan Aurescu, o ministro do governo romeno autor da gafe, pediu desculpas ao seu colega Frank-Walter Steinmeier e considerou que a situação era um “erro técnico lamentável”. Aurescu terá, provavelmente, de melhorar o controlo sobre a estrutura diplomática que está sob a sua tutela. Em fevereiro passado, a embaixada romena em Paris foi a fonte de outro embaraço para Bucareste.

Na altura, a embaixada enviou convites para uma receção acompanhados de uma folha em que se qualificavam alguns dos convidados como “indesejado” ou “horrendo”. Há informações, ou opiniões, que não se ajustam às boas relações diplomáticas, mas os responsáveis romenos perecem não levar isto muito a sério.