Costuma segurar a porta para deixar uma senhora passar? Tem por hábito permitir que ela vá do lado de dentro do passeio, para não ser incomodada pelo trânsito? Segue as regras do cavalheirismo quando a serve com uma quantidade meticulosamente estudada de vinho ao jantar? E até comprou o bestseller “How To Be a Gentleman” para aprender a lavar camisas? Pois bem, saiba que é sexista.

Esta é a conclusão de um estudo da Universidade do Nordeste, em Boston, que pretendia descobrir como é que a escolha das palavras, as atitudes e os sorrisos dos homens revela o tipo de sexismo que subtilmente demonstram ao interagir com mulheres que não conheciam. O estudo pode ser encontrado aqui.

Foram dois psicólogos que concluíram que as atitudes amistosas e cavalheirescas afinal podem apenas “mascarar chauvinismo e padronizar pontos de vista”. Tudo porque os homens apenas agem de determinada maneira por partirem do princípio que as mulheres são mais fracas e desprotegidas.

Os dois investigadores observaram 27 casais enquanto jogavam num tabuleiro de trivial. Não. Não houve assédio, nem agressões, nem sequer batota. Mas o comportamento masculino foi dissecado do ponto de vista da “ciência feminista” em busca de traços sexistas.

A investigação fez renascer um conceito antigo, o do sexismo benevolente, que faz parte dos argumentos feministas de que o sexismo é algo impregnado no comportamento masculino. Os homens considerados sexistas foram, assim, também rotulados como mais amistosos, calorosos e sorridentes.

Segundo Jin Goh, co-autor deste estudo, “enquanto as pessoas forem apenas sensíveis às ofensas verbais sexistas, não conseguem associar o sexismo à amizade”. E acrescenta: “A não ser se o sexismo passar a ser compreendido como tendo a parte hostil e a parte benevolente, ele vai continuar a dirigir forças para a desigualdade de género na sociedade”.

Um homem com atitudes cavalheirescas é afinal “um lobo com pele de carneiro”, ilustra Judith Hall, outro co-autor da investigação. Nas palavras do psicólogo, os gestos de boa vontade masculinos conduzem a que as senhoras interiorizem o status quo assumido até agora.

Este é o primeiro estudo que combina os indícios de expressão verbal e não verbal na investigação da diferença entre sexismo hostil e sexismo benevolente.