Quando Ed Miliband, um político do Partido Trabalhista do Reino Unido, se deixou filmar com a mulher numa humilde cozinha da sua casa no norte de Londres, esperava que todos o vissem como “um homem do povo”. Só não esperava que se descobrisse que aquela divisão era afinal a cozinha mais pequena da sua casa de quase 3 milhões de euros. A história é contada pelo The Telegraph.

Agora, o político está a ser motivo de piada entre os conservadores britânicos, que já o intitularam de Ed “Two Kitchens” Miliband, numa alusão a John ‘Two Jags’ Prescott, o ex-vice-presidente do partido em causa.

 

Tudo começou quando Justine, a esposa de Ed Miliband, aceitou dar uma entrevista à BBC sobre as suas preocupações quanto aos ataques pessoais de que o seu marido era alvo. As imagens eram de uma família com um filho a passear de mãos dadas num parque, bem como do casal a beber chá e a comer biscoitos na dita cozinha.

A cozinha foi então descrita como sendo comparável à de “uma casa comunista”. Jenni Russell considerou ofensivas aquelas palavras e esclareceu que “a cozinha da família Miliband é adorável” e que aquela era apenas secundária, a da empregada, na sua conta de Twitter.

Foi então que chegaram as críticas. Quando as mesmas se tornaram mais densas, Jenni voltou a pronunciar-se dizendo que a divisão onde Ed e Justine foram filmados “não é uma segunda cozinha, é antes uma área para beber chá”.

A oposição rapidamente usou estes argumentos contra o político, afirmando que Ed vivia acima daquilo que defendia. Nigel Adams, do Partido Conservador, disse: “não há claramente custos de vida para Ed “Two Kitchens” Miliband”. E acrescentou “Red Ed pode querer muito parecer um homem do povo, mas as únicas pessoas com quem se identifica são as da elite metropolitana do norte de Londres”.