Açores

A Lagoa das Sete Cidades vista do espaço

816

É a foto da semana. Tirada pelo satélite espanhol Deimos-2, mostra a fertilidade dos terrenos açorianos na Lagoa das Setes Cidades.

Lagoa das Sete Cidades em destaque na ESA

A imagem da semana da Agência Espacial Europeia (ESA) revela a Lagoa das Lágrimas, em S. Miguel, nos Açores. O complexo vulcânico onde as lagoas se encontram chama-se Sete Cidades e inclui uma caldeira com cinco quilómetros de diâmetro, lagos, cones vulcânicos, domas de lava e crateras inundadas.

A Lagoa das Sete Cidades tem dois lagos com dinâmicas ecológicas diferentes e estão conectadas através de uma estreita passagem. O lago a norte chama-se “Lagoa Azul”, enquanto o lago a sul recebeu o nome de “Lago Verde”.

A culpa é das algas, da ecologia de cada lagoa. Mas há também uma lenda que justifica as cores diferentes.

Conta-se que um rei da região mantinha a sua filha em cativeiro, com a intenção de a proteger. Em busca de liberdade, a princesa escapou para as terras circundantes, onde se apaixonou por um pastor. Também ele enamorado, decidiu ir até ao rei pedir a mão da jovem em casamento. O rei negou a união e proibiu-os de voltarem a estar juntos. Como despedida, a princesa e o pastor marcaram um encontro secreto junto ao local da fotografia, onde choraram até que as suas lágrimas preencheram o vale. O Lago Azul reflete essa cor porque os olhos do pastor eram azuis e a outra lagoa encheu-se com lágrimas verdes, choradas pelos olhos verdes da princesa.

Ao redor da caldeira é possível distinguir a vegetação da fértil região açoriana e são evidentes as linhas que separam as parcelas da cultura da terra.

As fotografias foram tiradas pelo satélite espanhol Deimos-2 a 6 de dezembro de 2014. A sua muito alta resolução permite criar imagens com 75 cm de precisão. O satélite voltará a estar ativo a 1 de abril, altura em que vai integrar o Programa Europeu Copérnico.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
CDS-PP

Liderar gerações

Francisco Rodrigues dos Santos

Dar lugar ao mérito não é deixar alguém entregue à sua sorte. Pelo contrário. É permitir que o Estado renove a autoridade, limitando-se às tarefas de providência para estar mais próximo dos cidadãos.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)