O ministro das Finanças da Alemanha garantiu hoje que a Grécia não vai receber mais dinheiro da Alemanha em reparações de guerra, que os gregos viveram acima das suas possibilidades e que o Governo grego está a “mentir à população”, no mesmo dia em que Merkel convidou Tsipras para um encontro em Berlim.

Numa conferência em Berlim da CDU, Wolfgang Schäuble voltou a mostrar que tem a língua afiada e deixou fortes críticas ao Governo grego. Para o ministro, o novo Governo destruiu por completo a confiança dos parceiros europeus que tinha sido ganha desde o início do resgate.

“É um sério contratempo. Até novembro, a Grécia estava encaminhada possivelmente para a saída da crise. Isso desapareceu. Não sei o que fazer com a Grécia agora”, disse o governante, garantindo de seguida que a Alemanha não vai pagar mais nada à Grécia no que diz respeito às reparações da Segunda Guerra Mundial e que os gregos viveram acima das suas possibilidades.

O governante alemão considera que os líderes gregos “estão a mentir à população” e que a Europa “ainda não percebeu o que a Grécia quer” nas suas negociações com a zona euro.

Mas as críticas não se ficam por aqui. O ministro das Finanças não acredita que o Governo vá acabar com as isenções fiscais para os donos de barcos na Grécia e que está preocupado que as políticas do atual Governo possam levar a uma queda nas receitas da Grécia com turismo, se levarem a um aumento dos ordenados.

“Nem um Governo de esquerda vai cumprir essa promessa” de taxar os donos de barcos, disse Wolfgang Schäuble.

O responsável pelas Finanças alemãs criticou ainda a ida mais recente ao mercado da Grécia. O Executivo grego decidiu avançar com um leilão de curto prazo para refinanciar a dívida, também de curto prazo, que está a vencer, e numa altura em que enfrenta grandes dificuldades de tesouraria.

O resultado, segundo Wolfgang Schäuble, foi um desastre. O ministro diz que este leilão destruiu a confiança e que nenhum investidor estrangeiro quis comprar a dívida grega.

Os comentários do ministro das Finanças acontecem no mesmo dia em que o Governo alemão anunciou uma visita oficial de Alexis Tsipras a Berlim. O primeiro-ministro grego foi convidado pela chanceler alemã durante uma conversa telefónica tida entre os dois esta segunda-feira e aceitou o convite.

A viagem de Alexis Tsipras a Berlim acontece numa altura em que as relações parecem cada vez mais tensas. A ameaça do Governo grego de exigir reparações da Segunda Guerra Mundial à Alemanha, o protesto formal da embaixada grega em Berlim contra as declarações de Wolfgang Schäuble sobre Yanis Varoufakis ou do vídeo de 2013 onde Varoufakis mostra o ‘dedo do meio’ à Alemanha, são apenas alguns dos episódios mais recentes nas relações entre os dois países.