Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Há pouco mais de dez anos, as lentes do telescópio Hubble fizeram história ao capturarem aquela que foi considerada “a imagem mais significativa de sempre”. Era a foto de milhões de estrelas agrupadas em milhões de galáxias, um retrato da imensidão do espaço de que estamos rodeados.

Agora, a NASA voltou a colocar-se na primeira linha e libertou a maior fotografia alguma vez tirada do Espaço: uma pequena parte do Universo, mas uma grande vista para entendermos a profundidade vertiginosa onde estamos.

Observe:

p1502aw-no-text_0

Trata-se de uma fotografia de Andrómeda, a galáxia vizinha à nossa e a maior do Grupo Local. A 5 de janeiro, o telescópio Hubble tirou 411 fotografias e juntou-as para formar a imagem: são 1.5 mil milhões de pixeis com um peso de 4.3 GB. E nela podemos ver 100 milhões de estrelas que ardem a mais de 40 mil anos-luz.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR