Kim Jong-un, líder norte-coreano, está a restituir uma antiga tradição do avô Kim Il-sung: a “Trupe do Prazer”, um grupo de jovens mulheres escolhidas a dedo para entreter o líder norte-coreano e a elite do país.

“Esta tradição está na família de Kim há três gerações para demonstrar o poder e a força sexual que o líder norte-coreano possui”, disse ao Telegraph Toshimitsu Shigemura, professor na Universidade de Waseda, em Tóquio, e uma autoridade nos assuntos da Coreia do Norte.

A “Trupe do Prazer” foi introduzida por Kim Il-sung, o avô de Kim Jon-un e fundador da Coreia do Norte. Os oficiais do governo norte-coreano iam procurar as jovens mulheres mais bonitas, que eram então selecionadas para dançar e cantar em privado. Enquanto as mais bonitas iam servir as elites, as outras tornavam-se domésticas.

De acordo com o Chosun Ilbo, jornal sul coreano, os recrutadores diziam aos pais que as suas filhas iam servir o líder da nação e que iam ter um papel muito importante. As mulheres, recrutáveis já com 13 ou 14 anos, saiam de casa para viver na mansão dos líderes do país, e muitas reformavam-se entre os 20 e os 30 anos de idade para casar com militares à procura de noiva.

O atual líder coreano anunciou 3 anos de luto pela morte do pai, Kim Jong-il, e acabou oficialmente com o grupo. Em 2015, com o fim do período de luto, Kim Jong-un ressuscita a equipa de jovens coreanas dedicadas ao entretenimento. De momento está a recrutar mulheres altas e bonitas para integrar uma nova geração da “Trupe do Prazer”.