O ministro da Defesa grego, Panos Kammenos, anunciou esta quarta-feira que a Grécia está a negociar a compra de mísseis à Rússia para equipar os seus sistemas antimíssil S-300, escreve a agência Reuters.

Os equipamentos S-300 foram desenvolvidos pela antiga União Soviética para defender o território de ataques aéreos e de mísseis de cruzeiro (mísseis guiados).

O comunicado acontece após o primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, ter visitado o presidente russo, Vladimir Putin, em Moscovo (Rússia) na semana passada com o objetivo de “aprofundar” as relações entre os dois países.

A Grécia, membro da Nato desde 1952, possui a tecnologia russa de defesa contra ataques aéreos S-300 desde o final dos anos 90.

“Estamo-nos a limitar a substituir os mísseis (para os sistemas)”, afirmou Kammenos que se encontra em Moscovo numa conferência sobre segurança, conta a Reuters. “Estão em curso negociações entre a Rússia e a Grécia relativamente à manutenção dos sistemas … bem como à compra de novos mísseis para o equipamento S-300”, divulgou.

A origem dos fundos para adquirir os mísseis russos por parte da Grécia é incerta, considerando que o país se encontra na eminência de declarar falência, segundo afirmou esta quarta-feira a agência de rating Standard & Poor’s, após ter baixado o rating da dívida grega já avaliada como “lixo”.

Vladimir Putin vendeu recentemente mísseis S-300 ao Irão, deixando o primeiro-ministro israelita Benjamin Netanyahu “desconfortável”, conta fonte de notícias israelita Ynetnews. Putin garantiu a Netanyahu que a venda dos mísseis não constituía uma ameaça para Israel.