Os seres humanos têm sonhos. Até os cães têm sonhos, mas não tu. Tu és apenas uma máquina, uma imitação da vida. Pode um robot escrever uma sinfonia? Pode um robot transformar um quadro numa obra de arte?

Quando Alex Proyas realizou a história da relação entre as máquinas e os humanos em 2034 (Eu, Robot de 2004), não podia adivinhar que a interação entre os robôs e o homem podia estar tão próxima. A Toshiba antecipou o futuro e mostrou ao mundo a criação do robô mais próximo do humano alguma vez fabricado.

Chama-se Aiko Chihira e imita uma mulher japonesa com 32 anos. Não se limita apenas a parecer uma humana: ela fala, move-se como uma pessoa, sabe língua gestual e está programada para demonstrar expressões humanas.

Esta segunda-feira está em exposição na loja de Mitsukoshi, em Tóquio (Japão) e terça-feira e vai prestar assistência a todos os visitantes que se aproximem dela, desta humanóide, conforme noticia a BBC News.

https://www.youtube.com/watch?v=izH08FB2mxU

Chihira fala japonês, coreano, mandarim e inglês e pretende auxiliar as pessoas nas suas tarefas laborais. Serve como mediador da “comunicação eficiente entre robôs e humanos”, como se pode ler no International Business Times. Pretende compreender as necessidades humanas e adaptar o comportamento para satisfazê-las.

A Toshiba explicou que o robô, android, funciona com 43 motores, que lhe permitem piscar os olhos, mexer os lábios, as mãos e a cabeça, sorrir e cantar, por exemplo. Mas as suas funcionalidades podem aumentar no futuro: a empresa pretende que Chihira evolua para poder processar sensações, sintetizar e reconhecer a voz e melhorar as capacidades sociais. Tudo isto até 2020, de acordo com o Daily Mail.

O robô não foi novidade para os engenheiros e técnicos, que já sabiam do projeto desde que lhes foi apresentado em outubro do ano passado. “Nós queremos criar um robô que, um dia, faça o que faz um humano”, concretiza a Toshiba.

Aiko Chihira surgiu depois de Pepper, um robô desenvolvido pelo SoftBank que analisa gestos e expressões para tirar conclusões sobre as emoções dos humanos com quem interage. Mil versões deste humanóide foram compradas pela Nestlé para prestarem auxílio aos clientes nas lojas de eletrodomésticos. O boneco está à venda por cerca de 1500 euros.