O Senado dos EUA aprovou por unanimidade uma lei que pretende lutar com mais eficácia contra o tráfico de seres humanos, criando designadamente um fundo de ajuda às vítimas e medidas visando os traficantes.

O texto estava bloqueado há semanas por causa de uma parte relativa a aborto, que opunha democratas e republicanos.

A sua adoção deve permitir acabar, por fim, com o processo de nomeação da próxima ministra da Justiça, Loretta Lynch, que precisa do aval do Senado.

O senador republicano John Cornyn considerou que este texto vai permitir dar uma ajuda crucial às vítimas do tráfico de seres humanos destinados à prostituição, que atinge meninas com idades entre 12 e 14 anos.

“É um crime horrível, odioso, mas que a maior parte de nós nunca vê, porque é perpetrado fora do nosso olhar”, declarou o senador, acrescentando: “Mas lançámos uma verdadeira boia de salvação a estas vítimas do tráfico de seres humanos, primeiro ao fornecer-lhes recursos, depois a ajudá-las a recuperar”.

O voto unânime resultou de uma batalha áspera, com os democratas a acusar os republicanos de se quererem aproveitar deste texto para tornar o aborto ainda mais difícil nos EUA.