Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Pelo menos nove pessoas foram detidas esta quarta-feira na sequência de buscas realizadas pela Polícia Judiciária e a Autoridade Tributária e Aduaneira a cerca de 30 empresas e residências particulares ligadas ao grupo empresarial têxtil Feira dos Tecidos. Entre os detidos estão o dono do grupo, bem como um gerente, o diretor financeiro e o contabilista.

Em comunicado, a Polícia Judiciária explica que o grupo “vinha efetuando transações comerciais sem proceder à respetiva declaração fiscal ou fazendo-o com falsidade”, com isso lesando o Estado em “dezenas de milhões de euros em sede de IRC e IVA.”

As buscas e detenções foram realizadas sobretudo na zona do Porto, mas também decorreram em Coimbra e Braga. O grupo Feira dos Tecidos tem presença comercial de Norte a Sul do país, com várias lojas em Lisboa e no Porto e ainda em cidades como Guimarães, Funchal, Aveiro, Leiria e Viseu, entre outras.

Além das detenções, a PJ apreendeu ainda vários automóveis e obras de arte, bem como milhares de euros em dinheiro.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR