A Terra costuma tremer quando as placas tectónicas se decidem mexer. Funciona assim: a superfície do planeta abana consoante a forma como estas placas se deslocam, colidem ou afastam na litosfera. Chamam-se sismos e existem escalas que medem a sua intensidade — a mais usada, por norma, é a de Richter. É a ciência que diz tudo isto, e mais: o sismo que a 25 de abril afetou o Nepal registou 7,8 nessa escala e aconteceu porque a placa tectónica indiana colidiu com a euroasiática. Mas há quem não ligue à ciência e acredite que este, e outros terramotos, sejam causados pela “promiscuidade na sociedade”.

Ou melhor, pelas mulheres que “não se vestem de forma apropriada”. A opinião é de Hojatoleslam Kazim Sadeghi, um imã iraniano, mas não é de agora — o vídeo em que surge a discursar e a defender esta ideia foi publicado no You Tube em abril de 2010. “Quando a promiscuidade se espalha, os sismos aumentam. Não há outra forma além de procurar refúgio na religião e adaptarmo-nos ao comportamento Islâmico”, acrescenta Sadeghi.

A CNN escreve que o líder religioso critica as mulheres que se vestem de forma provocante e que, deste modo, tentam outras pessoas. Kazim Sadeghi, o imã responsável pelas orações de sexta-feira em Teerão, capital iraniana, falava, contudo, sobre os sismos que abalam o Irão.

O utilizador que publicou o vídeo no YouTube, denominado “electionlie’s channel”, chega a traduzir para inglês uma suposta declaração de Sadeghi: “As muitas mulheres que não se vestem de forma apropriada mancham a sua castidade, incitam as relações extramatrimoniais na sociedade e fazem com que os jovens de dispersem. O que causa sismos. [E] as calamidades são o resultado das ações das pessoas.”