A Sporting SAD e a FC Porto SAD, as sociedades anónimas desportivas controladas pelo Sporting Clube de Portugal e pelo Futebol Clube do Porto, estão a propor a subscrição de obrigações a três anos que pagam 6,5% e 5% por ano, respetivamente. Mas mesmo que seja um fã incondicional dos clubes desportivos, não deve aplicar o seu dinheiro nestes títulos: o rendimento proposto é alto mas não é suficiente para compensar os riscos de insolvência.

Embora tenham sido conduzidos esforços para afastar a probabilidade de bancarrota das sociedades desportivas ao longo dos últimos anos, os capitais próprios da Sporting SAD e da FC Porto SAD ainda não muito baixos. Aliás, até junho do ano passado, os capitais próprios de ambas as firmas eram negativos, isto é, as sociedades estavam tecnicamente falidas.

Em dezembro, depois de reestruturações financeiras, os capitais próprios ficaram positivos, mas ainda insuficientes. Em ambos os casos, os capitais próprios são inferiores a metade do capital social das empresas, o que, ao abrigo do Código das Sociedades Comerciais, as obriga a conduzir uma assembleia geral de sócios para decidir a dissolução, a redução do capital social ou o aumento de capital.

As emissões obrigacionistas, cujos períodos de subscrição se estendem até 20 de maio no caso da Sporting SAD e até ao dia seguinte para a FC Porto SAD, visam fornecer dinheiro para as atividades correntes das empresas, bem como pagar as anteriores emissões. Os títulos serão admitidos à negociação na bolsa de Lisboa.

“Lixo” desportivo

A Sporting SAD e a FC Porto SAD não recebem notações de risco emitidas por casas independentes de rating. Contudo, indicadores sintéticos de rating (como o Z-score desenvolvido por Edward Altman) apontam para probabilidades superiores de falência, o que se refletiria em ratings de nível F, de acordo com a Bloomberg. Os indicadores sintéticos de rating, que são usados por investidores profissionais na ausência de ratings oficiais, usam informação contabilística e bolsista para agrupar as empresas emitentes de obrigações em grupos de risco.

O nível F é o mais baixo nas grelhas de rating. A Grécia, a Venezuela e a Ucrânia, as nações mais mal classificadas ao nível de dívida, reúnem-se no nível C, numa escala que começa em A. As emissões obrigacionistas a partir do nível C, inclusive, são consideradas “lixo” pela comunidade de investidores.

Para o grupo de obrigações do nível de risco F, a rentabilidade exigida pelos investidores é muito superior. Aliás, vários emitentes empresariais europeus de rating C pagam taxas anuais brutas superiores a 6,5% no mesmo prazo de três anos, isto é, há títulos de risco inferior que pagam mais. Mesmos os governos pagam mais: a rentabilidade anual da dívida grega a dois e quatro anos varia entre 14% e 20% por ano, por exemplo.

Quem já deu ordem de subscrição mas, entretanto, se arrependeu, pode revogar a operação até amanhã, 14 de maio, na emissão da Sporting SAD, ou até sexta, 15 de maio, nas obrigações da FC Porto SAD.

As taxas anuais de juro de 6,5% e 5% são brutas. Para apurar o rendimento líquido, os investidores têm de descontar os impostos e as várias comissões dos intermediários financeiros (de subscrição e, eventualmente, de recebimento de cupões, de reembolso, de venda antecipada e de guarda de títulos).

A descapitalização dos clubes de futebol é um mal generalizado a nível europeu e há quem tema pelo futuro do negócio. Aliás, entre os 18 principais clubes ou subsidiárias de clubes cotados nas bolsas europeias, apenas dois – o Arsenal de Londres e o Ajax de Amesterdão – têm um indicador sintético de rating superior a “lixo”.

Características das obrigações a emitir pelas SAD do Sporting e do FC Porto
Sporting 2015-2018 FC Porto SAD 2015-2018
Subscrição até às 15h de 20 de maio até às 15h de 21 de maio
Alteração ou revogação até às 15h de 14 de maio até às 15h de 15 de maio
Emissão 25 de maio de 2015 26 de maio de 2015
Maturidade 25 de maio de 2018 28 de maio de 2018
Montante em subscrição 30 milhões de euros 40 milhões de euros
Preço unitário 5 euros 5 euros
Mínimo de subscrição 100 euros 100 euros
Recebimento de juros Semestral
(25 de maio e 25 de novembro)
Semestral
(26 de maio e 26 de novembro)
Taxa anual nominal bruta 6,5% 5%
Fonte: prospetos da Sporting SAD e da FC Porto SAD.

David Almas é analista financeiro independente registado na CMVM com o número oito. O autor trabalha subordinado ao Código Deontológico dos Jornalistas.