A partir de julho, a vida dos turistas chineses em Portugal fica mais facilitada. A maior emissora de cartões de pagamento da China, a UnionPay, celebrou esta sexta-feira um acordo com a portuguesa Unicre, que vai permitir que os chineses possam utilizar os seus cartões bancários nos terminais de pagamento automático da Redunicre, a maior rede do género no país.

O acordo possibilita que os cartões da UnionPay sejam utilizados em compras efetuadas em mais de 45 mil estabelecimentos comerciais no país. Até à data, isto não era possível. Para fazer compras, os turistas chineses que não tinham cartão Visa ou MasterCard, tinham de levantar dinheiro ou subscrever

A UnionPay foi fundada em 2002, tem cerca de 4,6 mil milhões de cartões emitidos e permite efetuar pagamentos interbancários e inter-regionais com cartões emitidos pelos bancos comerciais da China. Está presente em mais de 150 regiões, para que os seus clientes possam utilizar cartões bancários quando vão de férias.

Em 2014, a UnionPay foi o terceiro maior emissor de cartões do mundo em volume de transação, logo depois da rede Visa e da rede MasterCard, de acordo com o relatório Nilson. Também foi o emissor que mais cresceu (52,3%) de 2013 para 2014, em volume de transações. O emissor chinês estima que, no final de 2015, os seus cartões sejam aceites em cerca de 80% dos estabelecimentos portugueses, como hotéis, restaurantes ou lojas.

No primeiro semestre de 2014, o número de turistas oriundos da China em Portugal aumentou 69% face ao mesmo período do ano anterior, de acordo com os dados divulgados pela agência Lusa. Foram cerca de 55 mil, que gastaram, estima-se, 33 milhões de euros no país, ou seja, mais 105% do que no primeiro semestre de 2013.

Não existem ligações aéreas diretas entre Portugal e China, mas segundo as estimativas que foram divulgadas na imprensa oficial chinesa, nos últimos quatro anos, o número de chineses que visitou Portugal triplicou. E de acordo com o estudo divulgado em abril pela Global Blue, especialista mundial em turismo de compras, cada turista chinês gastou, em média, 935 euros em média, por compra, em 2014 – um valor 3,2 vezes acima do da compra média dos turistas angolanos. O estudo diz ainda que o “consumo dos turistas chineses é o que mais tem crescido em Portugal”.

“Tendo em conta o ritmo de crescimento da economia chinesa, o tipo de produtos e serviços de luxo procurados por estes turistas, e o peso crescente do investimento chinês na economia portuguesa, a possibilidade que agora a Unicre oferece aos comerciantes que integram a sua rede, de aceitarem os pagamentos com os cartões emitidos na China pela UnionPay, vai contribuir para o aumento das vendas e para um aumento do valor médio por cada transacção efetuada pelos turistas chineses em Portugal, em sectores tão importantes como a hotelaria, restauração e vendas a retalho”, diz a empresa, em comunicado.

A Redunicre teve um volume de faturação de 15,1 mil milhões de euros em 2014 em cerca de 75 mil terminais. A percentagem de pagamentos efectuados com cartões na China através da UnionPay foi de 47,7% em 2014.

Em 2008, a Caixa Geral de Depósitos também já tinha celebrado um acordo com a UnionPay, para que os chineses pudessem levantar dinheiro em qualquer ATM do sistema Multibanco.