Um helicóptero da Força Aérea, que transportava dois doentes para o aeroporto do Funchal, voltou à pista em Porto Santo depois de estar a voar há cerca de 30 minutos para dar boleia à secretária de Estado da Defesa, Berta Cabral. O helicóptero não só voltou para trás, com os dois doentes a bordo, como ficou na pista a aguardar a chegada de Berta Cabral.

A governante ficou retida no Porto Santo e queria seguir para o Funchal para participar em cerimónias do Dia da Defesa Nacional. Berta Cabral seguia num avião comercial, segunda-feira à tarde, para o Funchal quando, devido aos ventos cruzados, o voo foi desviado para Porto Santo. À chegada, Berta Cabral em contacto com a Força Aérea, resolveu pedir boleia para seguir para o Funchal – aparentemente, o ministro e secretária de Estado recebem SMS com notícias sobre a atividade operacional dos meios da Força Aérea.

Só havia um lugar disponível no helicóptero e foi esse que foi preenchido por Berta Cabral. O resto da comitiva- o ajudante de campo – ficou em terra, sendo que o tempo acabou por melhorar e o voo comercial conseguiu aterrar no Funchal ainda durante a noite de terça-feira.

O helicóptero EH101 tinha previsto descolar da zona militar da pista de Porto Santo por volta das 20h depois de uma solicitação do centro de saúde da localidade que pediu que dois doentes fossem assistidos no Hospital do Funchal. Tratava-se, segundo o Observador apurou, de doentes sem gravidade.

Segundo fonte militar, o aparelho voltou para trás “porque não devia ter levantado voo”. Isto, porque houve uma descoordenação e o comandante não foi avisado de que devia esperar por Berta Cabral.

“Houve uma insuficiência do sistema de comunicação”, disse ao Observador fonte do gabinete da secretária de Estado, garantindo que esta não se apercebeu “de nada” e que quando entrou no aparelho “pensou que era a primeira vez que estava a descolar”.

Contactada pelo Observador, a Força Aérea limitou-se a dizer que “transportou a secretária de Estado no âmbito da oportunidade de um voo de evacuação médica”.

Os meios estacionados no Porto Santo, um EH101 e um C295, têm também a missão de prestar serviços de evacuação médica para além das missões de patrulha, busca e salvamento.