O maior erro foi ter-se inscrito no Bloco de Esquerda, confessa. Zanga-se todos os dias perante “as indignidades” que vê. E tem muito medo da “decadência” física e intelectual. Na segunda parte da entrevista a Joana Amaral Dias, o Observador fez-lhe nove perguntas pessoais, inspiradas no teste que a CBS fez aos pré-candidatos a Presidente dos EUA, procurando avaliar a personalidade de cada um dos candidatos – e a sua capacidade de dar respostas genuínas e espontâneas.

Baseada em estudos que mostram que, na formulação do juízo, os eleitores dão um peso grande às qualidades pessoais, a cadeia de televisão norte-americana preparou um grupo de questões com uma universidade de psicologia. O objetivo era encontrar perguntas certas para que os cidadãos fossem votar conhecendo melhor os candidatos que se apresentavam às eleições.
Como a CBS, o Observador (adaptando o menos possível essas perguntas) fez precisamente as mesmas questões aos sete entrevistados: Marinho e Pinto, Rui Tavares, Jerónimo de Sousa, Passos Coelho, António Costa, Catarina Martins e Joana Amaral Dias. Estas são as respostas de Joana Amaral Dias, do PTP/Agir, a piscóloga clínica que “gosta mais de aprender do que de ensinar”.

A entrevista política pode ser lida aqui. As perguntas que estão feitas neste vídeo são estas:

  • Quem foi a pessoa mais impressionante que alguma vez conheceu?
  • Qual foi a pior decisão que tomou na sua vida? Como é que o reconheceu e o que é que fez para mudar de caminho?
  • Entre as pessoas que enfrentou na vida política, com qual é que aprendeu uma lição. E qual?
  • Qual foi a última vez que se zangou. E o que é que aconteceu depois?
  • Para além da família, o que é que tem mais medo de perder?
  • Qual foi o seu maior triunfo?
  • Qual foi o pior conselho que já deu a outra pessoa?
  • Qual foi a última boa piada que lhe contaram?
  • Quantos SMS troca por dia?