Seis soldados foram mortos nas últimas 24 horas na zona separatista pró-russa da Ucrânia, segundo as autoridades de Kiev, que dizem temer uma escalada de violência. A zona leste da Ucrânia viveu uma onda de violência na semana passada, tendo havido 30 mortos perto de Mariïnka, uma cidade controlada pelas forças governamentais e palco de uma ofensiva de separatistas, de acordo com as autoridades ucranianas.

Desde então, a intensidade dos combates acalmou mas os incidentes mortíferos continuam a ocorrer, atingindo também civis. “Em Donetsk, a situação continua instável perto do aeroporto. O inimigo está a usar tanques, veículos blindados e artilharia pesada”, afirmou o porta-voz militar ucraniano Andriï Lyssenko, em conferência de imprensa. Já os rebeldes pró-russos acusaram as forças de Kiev de em 24 horas terem violado o cessar-fogo que entrou em vigor a 15 de fevereiro, depois da assinatura dos acordos de paz de Minsk 2.

A missão da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE), que está a acompanhar a situação na Ucrânia, publicou um relatório na sexta-feira em que escreve que “o nível de violência no aeroporto de Donetsk e nos arredores continua elevado”.