O líder parlamentar do PS questionou se a afirmação do Presidente da República de que sente alívio pelo processo de privatização da TAP não se baseará em informações desconhecidas pelo parlamento e partidos da oposição.

“O alívio do Presidente da República sobre o processo de privatização da TAP assentará em informações que não foram partilhadas com a Assembleia da República nem com os partidos?”, pergunta Ferro Rodrigues, numa nota enviada à agência Lusa.

No domingo, em conversa informal com os jornalistas a bordo do avião que o transportou para a capital da Bulgária, Sófia, o Presidente da República disse agora estar “mais aliviado” relativamente à privatização da TAP, considerando que tudo aponta para que a transportadora aérea possa permanecer autónoma, com uma base de operações em Portugal.

“A maioria do capital é português, temos de aplaudir”, disse nessa mesma conversa.

Perante estas posições do chefe de Estado, o líder da bancada socialista refere-se também a outras declarações controversas proferidas por Cavaco Silva no ano passado, durante uma visita de Estado à Coreia do Sul, a propósito do caso Banco Espírito Santo (BES).

“Serão agora [essas informações de Cavaco Silva] mais fiáveis do que as que há um ano o levaram a dizer que o BES estava sólido?”, questionou ainda o presidente do Grupo Parlamentar do PS.