O presidente da Infraestruturas de Portugal (IP) afirmou este sábado que faltam escavar 800 metros no Túnel do Marão para concluir a perfuração desta estrutura incluída na Autoestrada do Marão que vai ligar Amarante a Vila Real.

António Ramalho, que falava após uma visita do secretário-geral do PS à obra do Túnel do Marão, no lado de Amarante, distrito do Porto, disse que se prevê que a junção dos túneis ocorra durante o mês de agosto.

Faltam escavar cerca de 400 metros em cada túnel, que estão a ser construídos em paralelo, num total de 800 metros.

A Autoestrada do Marão vai ligar Amarante a Vila Real e inclui a construção de um túnel rodoviário de quase seis quilómetros.

A perfuração está a avançar agora com mais cautelas porque, segundo explicou o responsável, os trabalhos estão a decorrer numa falha geológica.

“As coisas não podiam estar a correr melhor, o que significa genericamente que estamos muito confortáveis em relação aos prazos de cumprimento da obra na parte do túnel, que seria aquela que objetivamente teria mais risco”, salientou.

Após ter resgatado a concessão da Autoestrada do Marão, depois da paragem das obras em junho de 2011, o Estado dividiu os trabalhos em três empreitadas, nomeadamente a do túnel e os acessos poente e nascente.

No entanto, apesar de os trabalhos decorreram a bom ritmo dentro do túnel, nos acessos as obras estão mais atrasadas.

“Os acessos tinham duas características. Primeiro não estavam na fase tão crítica e têm mais tempo para serem feitos dentro do prazo e depois são acessos feitos sobre uma obra já existente e era necessários que os empreiteiros comprassem algumas coisas aos anteriores”, explicou.

Agora, frisou, essas obras “estão a acelerar imenso”.

Neste momento, está-se em pico de obra. No túnel trabalham cerca de 620 trabalhadores dos 1200 afetos à autoestrada.

A proposta de portagem para os 26 quilómetros da Autoestrada do Marão situa-se entre o 1,85 e 2,25 euros.

Esta via vai ligar a A4 (Porto/ Amarante) à Autoestrada Transmontana (Vila Real/ Bragança) a partir do primeiro trimestre de 2016.

Desde o início da empreitada, no verão de 2009, as obras foram suspensas três vezes, sendo que, da primeira vez, o foram apenas na escavação do túnel e por causa de duas providências cautelares interpostas pela empresa Água do Marão.

Depois, a construção em toda a extensão da autoestrada parou a 27 de junho de 2011 e, dois anos depois, a obra foi resgatada pelo Estado.